sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Milhares de pessoas manifestam-se em Damasco em apoio ao governo - Portal Vermelho

Milhares de pessoas manifestam-se em Damasco em apoio ao governo - Portal Vermelho

Uma enorme multidão lotou a praça Al-Mohafazat na noite de quinta-feira (29) na capital síria, Damasco, em apoio ao governo do presidente Bashar Al-Assad e em repúdio à violência terrorista, financiada e organizada no exterior.

Com bandeiras sírias, muitas com a foto de Al-Assad e cantando lemas de apoio, os sírios expressavam também seu repudio à ingerência estrangeira nos assuntos internos do país, e reafirmavam sua disposição de defender a unidade nacional.

Com grande entusiasmo, os participantes também condenaram os atentados terroristas, que na última sexta-feira (23) provocaram a morte de 44 pessoas e ferimentos a 166 outras, além de grandes danos a duas dependências da segurança síria em Damasco.

Na quarta-feira, a cidade portuária de Tartus e outros povoados da província do sul foram palco de concentrações realizadas por organizações civis e da juventude, para homenagear os que morreram na luta contra a violência terrorista, realizada por grupos armados financiados a partir do exterior e dos quais fazem parte mercenários que, inclusive, combateram na Líbia contra o governo do assassinado líder Muamar Kadafi.

Além de condenar os atos de terror das gangues, a população de Hamin homenageou os mortos das forças militares e policiais, que foram assassinados enquanto cumpriam o dever de proteger e garantir a tranquilidade dos habitantes do país, e expressou apoio ao programa de reformas integrais que o governo de Al-Assad coloca em prática.

A agência de notícias SANA relatou que os manifestantes em Hamin pediram para que os observadores da Liga Árabe cumprissem com a obrigação de reportarem de forma objetiva os acontecimentos na Síria, ao mesmo tempo em que condenaram a propaganda ofensiva contra a Síria realizada por canais árabes e ocidentais.

A SANA também informou que a organização civil Síria Melhor organizou uma campanha em Tartus para coletar assinaturas de pessoas que demonstram apoio à sua pátria.

Com informações da Prensa Latina