domingo, 31 de outubro de 2010

Renato Rabelo: Barramos o retrocesso e podemos avançar muito mais - Portal Vermelho

Renato Rabelo: Barramos o retrocesso e podemos avançar muito mais - Portal Vermelho

Depois do voto, a candidata sinaliza a vitóriaNum breve depoimento ao Portal Vermelho depois que o presidente do TSE anunciou a vitória da candidata Dilma Rousseff, o presidente do PCdoB, Renato Rabelo analisa os resultados do segundo turno.

Leia abaixo:

“Esta é uma vitória histórica do nosso povo. Nós já havíamos dito que essa eleição era uma verdadeira encruzilhada: ou dávamos prosseguimento às conquistas iniciadas pelo presidente Lula ou teríamos um grande retrocesso. Este resultado é uma grande vitória, pois vamos caminhar para 12 anos onde o governo federal tem o apoio das forças populares, progressistas e de esquerda.

“No pouco tempo do governo Lula nós já avançamos muito e agora poderemos manter as conquistas e avançar ainda mais. Outro fator importante a ser analisado nesta eleição é a polarização entre as forças avançadas e a extrema direita.

“A candidatura de Dilma reuniu justamente as forças populares e Serra se apoiou nos setores mais atrasados, revanchistas e retrógrados. Serra buscou apoio na extrema direita e até na TFP. Dilma estava com as forças mais avançadas e nosso partido teve um papel importante nesta vitória. Nós participamos do Conselho Político do governo Lula e também da coordenação da campanha. Para o PCdoB, esta vitória tem uma importância muito especial, pois ela mostra a força do nosso povo, que enfrentou todos os desafios e neste dia fez história, elegendo a primeira mulher presidente do Brasil.”

Da redação

Dilma
É
a primeira Presidenta do Brasil!
Agência Senado
Encerrada a apuração no Distrito Federal. Agnelo eleito governador com 875.612 votos, 66,10% do total.

Serristas apelam e rogam praga no Brasil.

O dobre de finados nas esperanças de qualquer dignidade nos opositores de Dilma soou no vídeo 2012, o fim está próximo peça que já tem seu lugar na história do cinema, caso exista alhures quem premie o mau gosto, a má fé e falta de caráter... um prêmio Goebbels, talvez. É uma ameaça ao eleitorado, não ficção, um panfleto e uma confissão de quem não esconde o olho grande contra o próprio país e o seu povo. É um filme contra o direito de o Brasil decidir. É uma enganação que desmerece a inteligência do(a) eleitor(a)

A sofrível película – crime eleitoral covarde às vésperas do desenlace das eleições de 2010 – é uma urucubaca assustadora sobre o futuro do Brasil, uma chantagem. Diz ao eleitor, “o fim está próximo”, caso o cidadão cometa o acinte de eleger a candidata Dilma Roussef. Mas o despenhadeiro da rejeição popular se abre ameaçador é ante a legião anti-patriótica e neoliberal.


É um vídeo sobre eles

Mas o filmezinho tem sua utilidade. Diz muito acerca dessa elite anti-Brasil sob Serra. Leiamos nas entrelinhas. Mas, em vez de tecer suposições como sentenças, cabem perguntas que o vídeo sugere:

1 – “Com o Brasil dividido, Dilma assume”.

Os prováveis derrotados nessa eleição limpa farão oposição ainda mais agressiva, contra a vontade popular?

2 – “Investigação sobre aliados e familiares de Serra”. Estão com medo dos mal-feitos da campanha (Paulo Preto, guerra de dossiês entre tucanos, calúnia e crimes eleitorais)? Querem ser inimputáveis? Não podem responder por ilegalidades em apuração?

3 – “Serra viaja para os Estados Unidos para o exílio”. Para os Estados Unidos, é? Entendi. E de lá, vai se unir com os estrangeiros para tomar o nosso Pré-Sal?

4- “Guerra com São Paulo”. Estão se sentindo ameaçados pelos investimentos no estado? Ficaram doídos com a Dilma, ao dizer “quem cuida de pobre em São Paulo é o Governo Federal'?

5 – “Acerto com a Igreja, descriminalização do aborto e impostos sobre as igrejas”.

Como o tema impostos sobre igrejas apareceu? Desculpe a ignorância: igreja não paga imposto?

Uma das mais fortes origens da esquerda representada por Dilma são os católicos e católicas progressistas. Devem eles ter medo de perseguições, a partir de Bento XVI?

Como o chefe do Estado do Vaticano emite juízos sobre a escolha do chefe de Estado do Brasil? E a criminalização do aborto de Serra? Querem dificultar o atendimento pelo SUS das mulheres pobres que já abortaram? Perseguirão as mulheres? Os (As) médicos(as) devem denunciá-las? Quantas morrerão (e seus filhos)?

6- “Servidores federais X programas sociais. Crise”. Desejam que parem os concursos públicos?

7- “Investigações e perseguição a Lula”. Projetam os tucanos em Dilma o que fariam a Lula caso ganhassem a eleição?

8 – “O turismo no Brasil desaba”. Apostam contra a Copa e as Olimpíadas no Brasil?

9 – “Estudantes (pró-Serra) e MST (Dilma) se enfrentam brutalmente”.

PSDB, DEM e PIG farão investimentos no movimento estudantil?

A TFP voltará com seus estandartes às universidades?

Já que o apoio juvenil organizado a Serra se resume às juventudes partidárias da sua aliança e à extrema direita - inexpressivas no ME - não é meio delirante o cenário criado?

Dói muito ao Serra o repúdio generalizado do movimento estudantil à sua candidatura?

10 – Se elegermos Dilma, o mais provável é a primeira mulher presidente não terminar o mandato?

E depois Serra será recebido por Lula e FHC no aeroporto? Esse tipo de megalomania já tem tratamento psiquiátrico, ou é machismo sem cura?

11 – Se as forças políticas que se opõem a Dilma forem derrotadas, ameaçam como Lacerda, “(...) não pode ganhar. Se ganhar, não pode tomar posse. Se tomar posse, deve ser derrubado”?

12 – Quem pagou o vídeo? Qual é a história sob essa peça apócrifa e covarde - que junto a outras baixezas, restará indelevelmente marcada no decepcionante currículo de Serra?

13 – Para Aécio: é isso que o PSDB, liderado por Alckmin ou Serra, como vaticina o vídeo, fará com a democracia, com o Brasil?

Obrigado por não nos deixar esquecê-los

O Brasil agradece as oportunidades propiciadas pela baixaria do demo-tucanato-carola-tfpista. Oportunidade de recordar como eles trabalham, de perceber que sua ânsia privatizante não acabou, de derrotá-los pela terceira vez, de eleger uma mulher, continuar o fortalecimento do Brasil, com trabalho para o povo e dignidade diante das nações.

Nem adianta o olho gordo. O povo não se dobrará ante as sucessivas ameaças à democracia. O povo já sabe quem não é democrático, por isso votará 13 e, com a Dilma, derrotará o medo, o irracionalismo e as ameaças fundamentalistas ao caráter laico de nossa República.

Talvez pensando nesse tipo de apelação, como uma frase para Dilma e o povo levarem no coração nesse 31 de outubro de 2010, Mário Quintana deixou um verso, um esconjuro ante esses jogadores de praga e sabotadores:"Todos esses que aí estão/ Atravancando o meu caminho/ Eles passarão/...Eu passarinho!"

sábado, 30 de outubro de 2010

Morre Ananias Maidana, histórico líder comunista paraguaio - Portal Vermelho

Morre Ananias Maidana, histórico líder comunista paraguaio - Portal Vermelho

AMÉRICA LATINA

30 DE OUTUBRO DE 2010 - 18H15
 Ananías Maidana

Lutador incansável pelos direitos dos povos, foi homenageado em março pelo governo com a Ordem Nacional do Mérito, a maior honraria que o Estado concede aos líderes civis


Morre Ananias Maidana, histórico líder comunista paraguaio

O líder histórico do Partido Comunista Paraguaio (PCP), Ananias Maidana, morreu neste sábado (30 aos 87 anos de idade no hospital do Instituto de Previdência Social, em Assunção, disseram os familiares do líder político. Maidana faleceu devido a complicações de câncer de próstata, disseram as fontes.

Seu corpo está sendo velado no Centro Cultural da República, antiga sede do Congresso, e o enterro será neste domingo (31), ao meio-dia, no cemitério da Recoleta.

Ao líder comunista paraguaio, que foi um dos políticos mais perseguidos durante a ditadura de Alfredo Stroessner (1954-1989), foi concedida, no último 10 de março, pelo presidente paraguaio, Fernando Lugo, a "Ordem Nacional do Mérito no Grau Grã-Cruz ".

Na ocasião, o presidente pediu desculpas em nome do Estado por "tantas mortes e tanta injustiça" em tempos de ditadura, durante os quais pelo menos 59 pessoas foram mortas e 336 desaparecidos, segundo a Comissão da Verdade e da Justiça.

Maidana lutou contra a ditadura Stroessner sob cujo regime esteve preso durante 24 anos em prisões diversas, 20 dos quais continuamente na Terceira Delegacia onde foi submetido a torturas e humilhações flagrantes.

De espírito indomável, Maidana voltou ao país após 10 anos de exílio na Argentina e depois do golpe de 1989 e se juntou ao processo de construção de transição democrática.

Maidana, que era secretário-geral do PCP (Partido Comunista Paraguaio) desde então, concorreu a uma cadeira no Senado em 2008, nas eleições gerais em que Lugo ganhou a presidência à frente da Aliança Patriótica para a Mudança. O PCP também faz parte da coligação.

Em comunicado à imprensa, a direção do PCP comunicou o falecimento de seu líder histórico e reafirmou a postura de Maidana como uma liderança que se sobressaía por sua "entrega, coerência, firmeza, honestidade e luta pela libertação de todos os povos do mundo".

"Estamos conscientes de que no corpo de Ananías repousam um grande cérebro e toda uma personalidade que já não poderá ser aproveitada por nosso povo em sua luta por uma sociedade exemplarmente democrática", diz a nota do PCP.

Najeeb Amado, secretário-geral do PCP, classificou-o como um dos maiores expoentes da luta pela democracia no Paraguai, com um nível de humanidade altamente elevado. "Consistente, transparente, intransigente lutador pela libertação dos povos do mundo".

Meses atrás, o líder político foi submetido a um tratamento exaustivo em Cuba, onde, novamente, recuperado. Nunca mostrou fraqueza nos últimos dias e continuou a trabalhar para fortalecer o processo democrático no país, de acordo com Amado.

Da redação,
com agências

Veja, abaixo, a homenagem que Ananías Maidana recebeu do presidente Fernando Lugo:


Luto: Fallece Ananías Maidana, luchador y líder del Partido Comunista Paraguayo - UltimaHora.com

Fallece Ananías Maidana, luchador y líder del Partido Comunista Paraguayo - UltimaHora.com
POLÍTICA | 08:54 | Sábado, 30 de Octubre de 2010

Ananías Maidana, emblemático dirigente y presidente del Partido Comunista Paraguayo (PCP), falleció en la madrugada de este sábado, tras una larga enfermedad. Sus restos son velados en el Centro Cultural de la República El Cabildo y su inhumación será el domingo al mediodía en la Recoleta.


Maidana, incansable luchador por los derechos de los pueblos, fue distinguido en marzo pasado por el gobierno con la Orden de la Cruz del Defensor, máximo honor que rinde el Estado a los líderes civiles.

Luchó contra la dictadura de Alfredo Stroessner (1954-1989) bajo cuyo régimen estuvo preso durante 24 años en distintas mazmorras, 20 de los cuales ininterrumpidamente en la Comisaría Tercera donde fue sometido a oprobiosas torturas y vejaciones.

De espíritu indoblegable, Maidana volvió al país después de 10 años de exilio en la Argentina y tras el golpe de Estado de 1989 y se integró inmediatamentye al proceso de construcción de la transición democrática.

Najeeb Amado, secretario general del PCP, lo definió como uno de los máximos exponentes de la lucha por la democracia en el Paraguay, "con un nivel de humanidad que es lo más alto que tal vez pudo conocerse en el país. Coherente, transparente, intransigente luchador por la liberación de los pueblos del mundo".

Meses atrás, el dirigente político fue sometido a un exhaustivo tratamiento en Cuba de donde volvió recuperado. Nunca demostró debilidad y en sus últimos días siguió trabajando por afianzar el proceso democrático en el país, según Amado.

Maidana fue víctima del mal sistema sanitario y la atención discriminada en los centros asistenciales, según sus seguidores. Debió mediar el presidente de la República, Fernando Lugo, para que de urgencia lo internaran en el Hospital Central del IPS, donde falleció a las 02:45 de este sábado.

COMUNICADO

El fallecimiento de Maidana fue dado a conocer oficialmente por el PCP en un comunicado donde resalta la figura de su principal líder y expresa que son "conscientes de que en el cuerpo de Ananías quedan un gran cerebro y toda una personalidad que ya no podrán ser aprovechados por nuestro pueblo en su lucha por una sociedad ejemplarmente democrática. Esta situación es grave, puesto que estamos hablando de una de las pocas personas que logró derrotar a la muerte con una vida desbordante y llena de amor, patria, entrega y revolución".

Asimismo explica que sus seguidores ven en el líder comunista "la síntesis de lo más elevado de la humanidad, lo que nos lleva a sentir, hoy con mucha más fuerza, una enorme e irreductible confianza en la capacidad que tenemos los seres humanos de organizarnos para garantizar la vida y el desarrollo de las potencialidades de todos los que habitamos el planeta tierra".

Abgail é anunciada como secretária de Turismo de Tarso Genro - PCdoB. O Partido do socialismo. Com Dilma Presidente

abgail

Abgail, nova secretária de Turismo

Abgail é anunciada como secretária de Turismo de Tarso Genro
A psicopedagoga, Secretária de Mulheres da CTB e ex-candidata pelo PCdoB ao Senado, Abgail Pereira, 50 anos, foi confirmada nesta semana como a futura secretária de Turismo do Estado.

Mar de oportunidades trás brasileiros de volta pra casa - TV Vermelho

Mar de oportunidades trás brasileiros de volta pra casa - TV Vermelho

Mar de oportunidades trás brasileiros de volta pra casa

Seu Jorge, como o presidente da república, há quarenta anos saiu do interior de Pernambuco. Agora pode retornar a sua terra natal que não é mais um torrão de seca. O mesmo aconteceu com Mario e sua família que há dez anos foram tentar a sorte no Japão deixando pra trás um Brasil falído. A crise mundial inverteu a situação e hoje Mário voltou e hoje trabalha em um estaleiro marítimo.

Taxista na cidade de São Paulo



Mario voltou do Japão para o Brasil



Cearenses desbancam império tassista - Portal Vermelho

Cearenses desbancam império tassista - Portal Vermelho
Messias Pontes *


O eleitor brasileiro deu uma demonstração, no último domingo, de sua independência e maturidade, e deu o troco àqueles que sempre o enganaram. Foi também uma demonstração de repúdio à arrogância e ao ódio destilado contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o mais popular da história republicana. Isto porque o governo deixou um pouco de lado a casa grande e olhou mais para a senzala, dando vez aos excluídos. Agora a classe média já representa mais da metade da população brasileira, fruto das políticas adotadas pelo atual governo. Vinte e dois milhões deixaram a faixa de pobreza e 32 milhões ingressaram na classe média em menos de oito anos.

Vários são os parlamentares que foram escorraçados pelas urnas, especialmente do PSDB, DEMO e PPS. Porém três deles merecem destaque, tal a arrogância e prepotência demonstradas ao longo dos seus mandatos: Arthur Virgílio Neto (PSDB-AM), Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Heráclito Fortes (DEMO-PI). O senador amazonenses teve o desplante de prometer dar uma pisa no presidente Lula; o demo piauiense não perdeu oportunidade para demonizar o governo Lula; e o senador Tasso Jereissati comandou a tropa de choque da oposição contra os interesses do Brasil e dos brasileiros.

Agora, para justificar a fragorosa derrota nas urnas, no último dia três, o senador tucano está voltando suas baterias contra o governador Cid Gomes e o deputado federal Ciro Gomes, chamando-os de traidores e ingratos. Ele destila ódio por todos os poros, e não se conforma por ter sido escorraçado da representação cearense no Senado, obtendo uma votação pífia, humilhante.

Se tem alguém no Ceará que não pode falar em ingratidão e traição, este é Tasso Jereissati. Ele foi eleito pela máquina do governo Gonzaga Mota, em 1986, mas mesmo antes da diplomação já havia rompido com o Governador que deixou de se candidatar ao Senado para satisfazer às exigências dele. Traiu também os comunistas, socialistas e trabalhistas cearenses que ajudaram-no a se eleger pela primeira vez. Depois traiu Sérgio Machado e, como presidente nacional do PSDB, traiu o candidato do seu partido à Presidência, José Serra, o “Zé” Traíra, em 2002. Em seguida foi a vez de o governador tucano Lúcio Alcântara ser apunhalado pelas costas, nas eleições de 2006, quando perdeu a eleição para o atual governador Cid Gomes.

Os cearenses e, nomeadamente os servidores públicos estaduais, têm enormes motivos para se sentir traídos por Jereissati que, sem consultar ninguém, desmontou o Estado cearense, levando à rua da amargura centenas de milhares de famílias em decorrência das suas políticas neoliberais.

Ele extinguiu a CEPA – Comissão Estadual de Planejamento Agrícola; a EPACE – Empresa de Pesquisa Agropecuária; a CODAGRO – Companhia de Desenvolvimento Agrícola; o BANDECE – Banco de Desenvolvimento do Ceará; a IOCE – Imprensa Oficial do Ceará; a COHAB – Companhia de Habitação; a Teleceará e outros órgãos essenciais ao desenvolvimento do Ceará.

Contra a vontade da maioria dos cearenses, inclusive usando da truculência policial, vendeu a COELCE – Companhia de Eletricidade do Ceará, empresa enxuta e superavitária, um dos maiores patrimônios do nosso povo. Até hoje não se sabe o destino do dinheiro da Coelce. Jereissati declarou que R$ 600 milhões, do R$ 1 bilhão da venda, seriam destinados a um fundo previdenciário, mas até hoje esse dinheiro não apareceu. Igualmente causou um enorme prejuízo aos cearenses ao levar o BEC – Banco do Estado do Ceará – a quase falência, tendo de federalizá-lo por R$ 900 milhões. No governo tucano de Lúcio Alcântara o BEC, que era orgulho dos cearenses, foi vendido ao Bradesco.

A infame campanha contra Cid e Ciro Gomes, a partir de uma matéria mentirosa da revista Veja (o lixo do jornalismo brasileiro), teve o respaldo de Jereissati, sabendo este que tudo não passava de mentiras daquela panfletária semanal da Editora Abril. Cid e Ciro, estes, sim, têm motivos de sobra para ter mágoas de Jereissati. Mesmo sabendo tratar-se de mentiras, o senador tucano além de não condenar as infâmias da Veja, ainda alimentou a sua divulgação.

Cid Gomes tem outros motivos para ter mágoas do senador tucano, pois este foi um dos responsáveis pelo fim da CPMF que destinaria um R$ 1 bilhão por ano para a saúde no Ceará. Nesses quatro anos o Ceará deixou de receber R$ 4 bilhões, dinheiro esse que daria para ter construído grandes e médios hospitais em todas as regiões do Estado, acabado com as filas nos hospitais e também remunerar melhor os profissionais da área de saúde, conforme enfatizou o secretário estadual de Saúde, Arruda Bastos.

A última traição do Tasso Jereissati foi ao candidato do seu partido, o “Zé” Traíra, durante toda a campanha do primeiro turno que findou no último domingo. Além de não pedir votos para o “Zé” Traíra, o senador o escondeu do seu material de campanha. Agora, no ostracismo, diz que vai trabalhar para derrotar a candidata petista Dilma Rousseff no segundo turno. Essa alma quer reza. Ou, numa hipotética vitória do candidato das forças do atraso, um ministério, de preferência o da Fazenda.

Mas o Galeguim dos Zói Azul pode tirar o cavalinho da chuva porque os brasileiros não vão permitir um retrocesso. Todas as mentiras, calúnias e difamações assacadas contra Dilma Rousseff durante o primeiro turno serão desmascaradas. O Brasil será governado, pela primeira vez, por uma mulher. Mulher de fibra, de coragem, e que está compromissada com as mudanças ocorridas nos últimos oito anos, e que vão ter sequência, avançando muito mais com ela.


* Diretor de comunicação da Associação de Amizade Brasil-Cuba do Ceará, e membro do Conselho de Ética do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará e do Comitê Estadual do PCdoB.

Mais do mesmo: a Petrobras na alça de mira - PCdoB. O Partido do socialismo. Com Dilma Presidente

Mais do mesmo: a Petrobras na alça de mira - PCdoB. O Partido do socialismo. Com Dilma Presidente
Muitas das análises dos processos de privatização ocorridos na década de 1990 não deram a devida atenção a outra gama de processos ocorridos desde a década de 1980. Estes processos tinham como essência a criação de um senso comum em torno da necessidade de se privatizar diante da “ineficiência”, da “falta de controle financeiro” e do “excesso de intervenção política” em empresas como a Usiminas e Vale do Rio Doce. O mesmo vem ocorrendo sistematicamente contra a Petrobras.

Por Renato Rabelo*

Nem o repertório, nem o objetivo mudam: a privatização da Petrobras está sim, na ordem do dia da oposição e de seus asseclas dispostos na grande imprensa.

Prova disto está no diuturno bombardeamento que o governo federal tem sofrido diante do anúncio de superávit primário recorde, como resultado de “uma manobra financeira” que “esconde” a verdadeira “farra de gastos” do governo em ano eleitoral. Esta “manobra financeira” teria sido possível graças ao pagamento – por parte da Petrobras – de R$ 74,8 bilhões pela "cessão onerosa" de cinco bilhões de barris de petróleo dispostos pelo Estado. Segundo conta nos “noticiários” econômicos, sem esse dinheiro da Petrobrás, as contas do governo teriam um déficit de R$ 5,9 bilhões, ou seja, o pior dos últimos anos. Com o ativo vindo da Petrobras, o superávit chegou a R$ 31,9 bilhões. A oposição e seus “intelectuais orgânicos” tem tanto apego a formas religiosas de se fazer política e economia que esse mérito nacional que foi o processo de capitalização da Petrobras gerou uma outra gama de “pecados” e “pecadores”, numa relação de causa e efeito entre e Estado Nacional e Petrobras.

Mas vamos analisar a incoerência, pois o pecado só serve para julgar alguns e “salvar” outros. Por exemplo, houve anos como o de 1998 (governo FHC) que o superávit só foi possível graças às operações de concessão de telefonia. Naquele tempo, essas operações geraram R$ 9,3 bilhões, enquanto que o superávit foi de R$ 5 bilhões. A metodologia de cálculo serve para um governo e não serve para outros.

Na verdade, não existe “manobra financeira”, e sim o fato de que ativo financeiro do Estado é ativo financeiro de Estado, logo deve ser calculado sim dentro dos parâmetros estabelecidos pela contabilidade nacional. Por outro lado, a essência desta discussão – para eles – deve ser a completa separação entre ativos financeiros do Estado obtidos por operações envolvendo suas empresas de um lado e por outro um orçamento nacional (provindo da arrecadação de impostos) onde o privilégio deve ser dado ao pagamento de juros da dívida interna. É uma forma mais sofisticada de se propagandear a necessidade de um Estado Mínimo, longe de obrigações com as operações administrativas seja de bancos, seja de empresas. Como falar em privatização não está pegando muito bem, procura-se formas de se fazer um velho discurso com nova roupagem. Uma forma de enfraquecer a capacidade de manobra do Estado em outros ramos de atividade que não seja o de planejar superávits em prol de pagamento de dívidas.

Alguém tem dúvida que diante do histórico deste tipo de propaganda da oposição que esse alarde todo tem como objetivo precípuo criar um clima favorável à privatização da Petrobrás?


*Presidente do PCdoB

Mais de 300 médicos lançam manifesto e declaram voto em Dilma - Portal Vermelho

Mais de 300 médicos lançam manifesto e declaram voto em Dilma - Portal Vermelho

Já passa de 300 o número de adesões de renomados profissionais da área médica ao manifesto de apoio a Dilma lançado há duas semanas. No texto, os médicos dizem que optaram pela candidatura de Dilma pois para de fato melhorar a saúde da população, queremos mais distribuição de renda, com geração de empregos, fortalecimento da agricultura familiar, ampliação e fortalecimento de políticas sociais como a Educação, Cultura, Lazer e Moradia". Leia, aqui, a íntegra do manifesto:

O que eu faço se vir alguém distribuindo panfletos ilegais sobre aeatas" são presas distribuindo material ilegal contra a Dilma? Veja aqui

"Beatas" são presas distribuindo material anti-Dilma em Osasco-SP - Portal Vermelho

"Beatas" são presas distribuindo material anti-Dilma em Osasco-SP

Das seis pessoas que distribuíam o material ilegal, uma fugiu e cinco foram conduzidas ao 4º DP, para onde foram levados os panfletos também. será aberto inquérito policial e as mulheres, que se diziam lideranças da igreja, serão indiciadas.

Militantes do PT de Osasco conseguiram ajudar a recolher mais exemplares dos panfletos ilegais assinados pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Regional Sul 1. Os folhetos estavam sendo distribuídos na manhã desta sexta-feira (29), no Jardim Rochdalle, em Osasco.

O militante Rodolfo Andrade, passava pela avenida Cruzeiro do Sul, nas imediações bairro na zona Norte, quando viu seis pessoas distribuindo o material. Imediatamente, o petista ligou para o 190 e a PM recolheu o material e conduziu para o 4º DP cinco das pessoas que espalhavam o material.

De acordo com os advogados da campanha de Dilma, que acompanham o caso na delegacia de Osasco, será aberto inquérito policial e as mulheres, que se diziam lideranças da igreja, serão indiciadas.

Segundo o presidente do PT de Osasco, João Goes, que também estava no momento da apreensão, desta vez o número de folhetos era bem pequeno. Ele, porém, não soube quantificar o material apreendido.

Histórico

No último dia 17, a Polícia Federal apreendeu mais de 1 milhão desses folhetos numa gráfica do Cambuci, que já havia rodado uma tiragem grande no primeiro turno. 1,1 milhão panfletos foram entregues, segundo o gráfico da Pana, no dia 15 de setembro, em quatro locais de São Paulo: Barra Funda, Paraíso, Guarulhos e na Rua do Bosque. No dia 13 deste mês, uma nova tiragem foi encomendada de mais 1 milhão de exemplares, encontrados na gráfica neste sábado.

O material, intitulado "Apelo a todos os brasileiros e brasileiras", que recomendava num dos trechos “nas próximas eleições os eleitores deem seus votos somente a candidatos ou candidatas de partidos contrários à descriminalização do aborto”, assinado por bispos da Regional Sul 1 da CNBB, foi recolhido por agentes federais e levados para o depósito da Superintendência da Polícia Federal, na Lapa.

Ainda no sábado (16), quando os folhetos foram encontrados na gráfica por militantes, os bispos da Regional Sul 1 da CNBB (estado de São Paulo) lamentaram o episódio e divulgaram nota de esclarecimento.

Fonte: www.pt-sp.org.br

Altamiro Borges: Vice de Serra quase apanha na Rocinha

Altamiro Borges: Vice de Serra quase apanha na Rocinha

Bolsa família transforma a vida de trabalhador

Emocionante vídeo de Airton Rabelo, trabalhador da construção civil da cidade de Contagem (MG), beneficiado pelo Bolsa Família. Ao contrário do que dizem os que condenam o programa, com o auxílio Airton fez curso de qualificação profissional, adquiriu sua casa própria e hoje sua filha é estudante universitária.


sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Dilma assume compromissos com os jovens brasileiros

Dilma assume compromissos com os jovens brasileiros

21/10/2010, Postado por galeradadilma

O Brasil tem hoje uma população de 52 milhões de pessoas na faixa etária entre 15 e 29 anos, mais de um quarto da população. A elaboração de políticas públicas específicas para esse segmento da sociedade, portanto, não pode ser algo secundário, mas uma necessidade central do Estado brasileiro. Os jovens não querem mais ser considerados o “futuro do Brasil”, mas sim protagonistas do presente.

Dilma Rousseff sabe disso e já se comprometeu a ampliar os investimentos e as políticas específicas para esse público: “Nós governamos para 190 milhões de brasileiros e não para setores da sociedade. Falam que a juventude é o futuro do país, não pode a juventude é o presente”. “O meu governo será um governo de oportunidades”, resumiu.

Conheça as propostas da nossa candidata.

Protagonismo – Ao longo do governo Lula, a juventude garantiu conquistas inéditas. A criação da Secretaria Nacional de Juventude e do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) são exemplos de como o governo brasileiro inseriu a atenção aos jovens no centro das prioridades. Essas estruturas articulam políticas, dialogam com a sociedade e reconhecem a importância de ações que atendem aos jovens brasileiros. Além disso, o governo promoveu em 2008 a Conferência Nacional de Juventude, fórum que contou com a participação de 400 mil jovens de todo o Brasil para elaboração da Política Nacional de Juventude.Essas ações resultam em políticas concretas que mudam a vida dos jovens brasileiros. Dos mais de 14 milhões de empregos formais, cerca de 80% beneficiaram jovens. O acesso ao ensino de qualidade é outro destaque, com a criação do ProUni e com a expansão e a construção de novas universidades federais e escolas técnicas federais. O acesso à cultura e ao esporte também alcançou níveis nunca vistos no Brasil.

Essas conquistas são exemplos do papel que a juventude brasileira assumiu nos últimos oito anos. Mas se de um lado os avanços são comemorados, eles criaram um novo patamar. Os jovens brasileiros não aceitam qualquer retrocesso. O desafio a partir de agora é consolidar e ampliar as políticas. É por isso que Dilma assume 13 compromissos com a juventude brasileira, para que o Brasil dos jovens continue avançando.

13 Pontos da Juventude para o Brasil Seguir Mudando

1 – Garantir ao jovem brasileiro acesso a uma escola de qualidade que combine ensino geral e ensino técnico, aprofundando as políticas de expansão do ensino, com ênfase na ampliação do ensino fundamental integral, na melhoria de qualidade do ensino médio e no fortalecimento da rede de ensino técnico e profissionalizante;

2 – Aumentar a escolaridade da juventude, implementando políticas com vistas a erradicar o analfabetismo, a combater a evasão e a reduzir a defasagem idade/série;

3 – Ampliar a oferta de ensino superior público e garantir a qualidade para o ensino superior privado;

4 – Promover a inclusão digital e tecnológica da juventude no campo e na cidade por meio da ampliação do Plano Nacional de Banda Larga, integrando as demandas de educação e de qualificação profissional;

5 – Promover a geração de trabalho decente para os jovens, combatendo sua precarização e a entrada precoce no mundo do trabalho;

6 - Fortalecer as políticas de convivência e integração da juventude, no campo e na cidade, com a implementação de mais equipamentos públicos de lazer, esporte e cultura;

7 – Desenvolver programas para acesso e produção de bens culturais voltados para a juventude tendo os próprios jovens como agentes de sua produção, implementação e gestão;

8 – Ampliação do acesso dos jovens à rede pública de saúde, contemplando as especificidades desse segmento, por meio de uma política nacional de saúde preventiva e da capacitação de recursos humanos para o trabalho com a juventude;

9 – Promover a participação da juventude nos programas relacionados aos grandes eventos esportivos, como Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016 e fortalecer a política de esporte nas comunidades por meio da estruturação de espaços públicos, da produção e da distribuição de equipamentos e incentivo aos programas de desenvolvimento esportivo;

10 – Ampliar e fortalecer as políticas que promovam os Direitos Humanos, o combate à discriminação, a valorização da diversidade, considerando-se a transversalidade com as diversas áreas e políticas governamentais;

11- Fortalecer as políticas de segurança que incorporem as especificidades da juventude na prevenção, na interação com os operadores de segurança pública e na redução da violência, garantindo ao jovem o seu desenvolvimento saudável e seguro;

12 – Fortalecer ações específicas para a juventude do campo, combatendo o êxodo rural, garantindo a sucessão da agricultura familiar, valorizando o meio rural como espaço de desenvolvimento e qualidade de vida dos jovens;

13 – Consolidar institucionalmente as políticas públicas de juventude transformando-as em políticas de Estado, garantindo o fortalecimento da participação popular na elaboração e no controle social das ações e fortalecendo o organismo executor, coordenador e articulador da Política Nacional de Juventude

Vejam a vergonha que Serra faz as mulheres brasileiras ao dizer essa imbecilidade que só reafirma inúmeros episódios de machismo e preconceito contra a mulher protagonizado
pela campanha de Serra.

http://www.clarin.com/mundo/america_latina/Serra-lanza-durisima-ofensiva-Dilma_0_362363872.html

Serra lanza una durísima ofensiva contra Dilma

29/10/10

PorELEONORA GOSMAN
SAN PABLO. CORRESPONSAL

“Si sos una chica bonita consigue 15 votos. Para eso, toma la lista de pretendientes y envíales un email. Avísales que aquel que vote por mi tendrá más chances contigo”. Esta fue la gran consigna del candidato José Serra en un acto en Uberlandia (Minas Gerais) en el que ayer estuvo acompañado por el ex gobernador de ese estado, Aecio Neves. En la desesperación por conseguir los 10 millones de votos que le faltan para alcanzar y sobrepasar a su adversaria Dilma Rousseff el socialdemócrata no parece tener reparos en los argumentos.

Para dar un tono festivo al acto, trajeron batucadas debidamente pagas además de ómnibus con “militantes” que recibieron US$ 23 por el viaje entre Belo Horizonte y la ciudad del interior mineiro. El candidato decidió gastar sus últimos cartuchos en Minas Gerais, el tercer distrito electoral del país, porque entiende que allí podrá morder parte del caudal de votos que tuvo Dilma en la primera vuelta. “Minas es el centro del país, es la síntesis. Y aquí se va a decidir la elección”.

La última encuesta de ayer, de la prestigiosa consultora Ibope, marca una ventaja de Dilma de nada menos que 14 puntos. Sólo un milagro, o un error demasiado grosero de las encuestadoras, es capaz de llevar a Serra al Palacio del Planalto el 1º de enero de 2011. Claro que nada puede asegurarse hasta las 20 horas del domingo cuando finalice el recuento de votos. Hoy los dos postulantes protagonizan su último debate. Será en la emisora Globo en Río de Janeiro.

Con esa misma expectativa de que algo sobrenatural lo ayude en esta pelea tan terrenal por el poder, Serra usó la campaña televisiva gratuita para insultar a Dilma a quien consideró como una mujer que de ser elegida para la presidencia “dejará robar en la sala de al lado” de su despacho. Dijo que ella había “quebrado” la intendencia de Porto Alegre cuando la ex ministra de Lula ocupaba un puesto secundario, la acusó de inepta y falta de autonomía. En esa línea discursiva, Serra acusó a Lula de querer privatizar Petrobras y entregar la explotación de las enormes reservas encontradas en la plataforma marítima a las empresas extranjeras.

Dilma consideró esa historia francamente ridícula. Ante miembros de la Federación Unica de Trabajadores Petroleros dijo que es una gigantesca mentira. Agregó que fue el gobierno de Fernando Henrique Cardoso quien vendió un tercio de la empresa estatal Petrobras. El gobierno de Lula acaba de recuperar la mayor parte del paquete accionario que es ahora de 48%. “Brasil sabe quién está a favor de Petrobras y de la explotación de las riquezas por parte de la empresa estatal; como también sabe quién está a favor de dejarlas en manos extranjeras”, dijo.

Itamaraty faz conferência “O Brasil no mundo que vem aí” - Portal Vermelho

Itamaraty faz conferência “O Brasil no mundo que vem aí” - Portal Vermelho

Teve início nesta quinta-feira (28) no Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, a 5ª Conferência Nacional de Política Externa e Política Internacional, promovida pela Fundação Alexandre de Gusmão (Funag), órgão vinculado ao Ministério das Relações Exteriores voltado para a pesquisa, análise e difusão de trabalhos sobre política internacional. A conferência desenvolve-se também na sexta (29).

Por José Reinaldo

Quem é Bento XVI - Epístola da Desobediência

Estadão

Epístola da Desobediência - Hans Küng


Veneráveis bispos:

Joseph Ratzinger, atual papa Bento XVI, e eu éramos os mais jovens teólogos no Concílio Vaticano II (1962-1965). Agora somos os mais velhos e os únicos ainda em plena atividade. Sempre entendi meu trabalho teológico como um serviço prestado à Igreja Católica Romana. Por essa razão, por ocasião do quinto aniversário da eleição do papa Bento XVI, faço este apelo a vocês numa carta aberta. Ao fazê-lo, sou motivado por meu profundo respeito por minha Igreja, que agora se encontra envolvida na pior crise de credibilidade desde a Reforma. Queiram me desculpar pela forma de carta aberta. Infelizmente, não tenho outro meio para alcançá-los.

Minhas esperanças e as de tantos católicos de que o papa pudesse encontrar seu caminho para promover uma renovação em curso da Igreja e uma reaproximação ecumênica no espírito do Concílio Vaticano II infelizmente não se confirmaram.

Seu pontificado mais perdeu que aproveitou oportunidades. Perdeu-se a oportunidade de reaproximação com as igrejas protestantes; de uma reconciliação duradoura com os judeus - em vez disso, recolocou bispos notoriamente antissemitas e cismáticos em comunhão com a Igreja; de um diálogo com muçulmanos numa atmosfera de confiança mútua; de reconciliação com os povos indígenas colonizados da América Latina; de ajudar os povos da África permitindo o uso do controle da natalidade para combater a superpopulação e preservativos para combater a disseminação do HIV. Perdeu-se a oportunidade de fazer do espírito do Concílio Vaticano II a bússola de toda a Igreja Católica.

Este último ponto, respeitáveis bispos, é o mais sério de todos. Por diversas vezes, este papa acrescentou qualificativos aos textos conciliares e os interpretou contra o espírito dos padres do Concílio:

- Trouxe os bispos da tradicionalista Sociedade Pio X de volta à Igreja sem nenhuma precondição;

- Promove a Missa Tridentina medieval por todos os meios possíveis;

- Recusa-se a pôr em vigor a reaproximação com a Igreja Anglicana, exposta em documentos oficiais pela Comissão Internacional Anglicana-Católica Romana;

- Reforçou ativamente as forças anticonciliares na Igreja nomeando funcionários reacionários para postos-chave na Cúria, enquanto nomeava bispos reacionários por todo o mundo.

O papa Bento XVI parece cada vez mais afastado da vasta maioria dos membros da Igreja que presta cada vez menos atenção a Roma e, na melhor hipótese, se identifica somente com seu pároco ou bispo local.

Sei que muitos de vocês estão aflitos com essa situação. Em sua política anticonciliar, o papa recebe pleno apoio da Cúria Romana. A Cúria é competente para reprimir críticas no episcopado e na Igreja como um todo e para desacreditar críticos por todos os meios a sua disposição. Com a volta à pompa e ao espetáculo absorvendo a atenção da mídia, as forças reacionárias em Roma tentaram nos apresentar como uma Igreja forte chefiada por um "Vigário de Cristo" absoluto que combina os poderes legislativo, executivo e judiciário da Igreja em suas mãos apenas. Mas a política de restauração de Bento fracassou. Todos os seus aparecimentos espetaculares, viagens demonstrativas e declarações públicas não conseguiram influenciar as opiniões da maioria dos católicos em questões controversas. Isso é particularmente verdadeiro com respeito a questões de moralidade sexual. Mesmo os encontros papais com a juventude, frequentados sobretudo por grupos carismáticos conservadores, não conseguiram conter a drenagem dos que saem da Igreja nem atrair mais vocações para o sacerdócio.

Vocês em particular, como bispos, têm razões para um profundo pesar: dezenas de milhares de padres renunciaram ao ministério desde o Concílio Vaticano II, a maioria em razão da regra do celibato. Vocações para o sacerdócio, mas também para ordens religiosas, irmandades e irmandades laicas estão em queda - não só quantitativamente como qualitativamente. A resignação e a frustração estão se espalhando rapidamente tanto pelo clero como pelos leigos atuantes. Muitos sentem que foram abandonados com suas necessidades pessoais e muitos estão profundamente deprimidos com a situação da Igreja. Em muitas de suas dioceses é a mesma história: igrejas cada vez mais vazias, seminários vazios e paróquias vazias. Em muitos países, em razão da falta de padres, cada vez mais paróquias estão sendo fundidas, com frequência contra a vontade de seus membros, em "unidades pastorais" maiores em que os poucos pastores sobreviventes ficam absolutamente sobrecarregados. Isso é antes uma falsa reforma da Igreja que uma reforma de fato!

E agora, por cima dessas crises, surge um escândalo que clama ao céu - a revelação do abuso clerical de milhares de crianças e adolescentes, primeiro nos Estados Unidos, depois na Irlanda, e agora na Alemanha e outros países. E para piorar as coisas, o tratamento dado a esses casos deu lugar a uma crise de liderança sem precedente e um colapso da confiança na liderança da Igreja.

As consequências de todos esses escândalos para a reputação da Igreja Católica são desastrosas. Líderes importantes da Igreja já admitiram isso. Numerosos pastores e educadores inocentes e comprometidos estão sofrendo com o estigma da suspeita que agora se estende sobre a Igreja.

Vocês, reverendos bispos, precisam enfrentar a questão: que acontecerá com nossa Igreja e suas dioceses no futuro? Não é minha intenção esboçar um novo programa de reforma da Igreja. Isso eu já fiz muitas vezes tanto antes como depois do Concílio. Desejo apenas lhes apresentar seis propostas que estou convencido de que são apoiadas por milhões de católicos que não têm voz na atual situação.

1. Não se calem: mantendo o silêncio ante tantas ofensas graves vocês também se mancham com a culpa. Quando sentirem que certas leis, diretrizes e medidas são contraproducentes, vocês devem dizê-lo em público. Enviem a Roma não profissões de sua devoção, mas apelos em favor da reforma!

2. Comecem a reforma: muitos na Igreja e no episcopado se queixam de Roma, mas eles próprios não fazem nada. Quando pessoas não frequentam mais a igreja numa diocese, quando o público é mantido na ignorância sobre as necessidades do mundo, quando a cooperação ecumênica é reduzida ao mínimo, então a culpa não pode ser simplesmente atribuída a Roma. Quer sejam bispos, padres, leigos ou leigas - todos podem fazer algo pela renovação da Igreja dentro da própria esfera de influência, seja ela grande ou pequena. Muitas das grandes realizações que ocorreram nas paróquias individuais e na Igreja em geral devem sua origem à iniciativa de um indivíduo ou de um pequeno grupo. Como bispos, vocês deveriam apoiar essas iniciativas e, especialmente considerando a situação presente, deveriam responder às justas queixas dos fiéis.

3. Ajam de maneira colegiada: após debates acalorados e contra a persistente oposição da Cúria, o Concílio Vaticano II decretou a colegialidade do papa e dos bispos. Ele o fez no sentido dos Atos dos Apóstolos, em que Pedro não agia sozinho sem o colégio dos apóstolos. Na era pós-conciliar, porém, o papa e a Cúria ignoraram esse decreto. Dois anos apenas após o Concílio, o papa Paulo VI emitiu sua encíclica defendendo a controversa lei do celibato sem nenhuma consulta aos bispos. Desde então, a política papal e o magistério papal continuaram agindo da velha maneira não colegial. Mesmo em matérias litúrgicas, o papa governa como um autocrata sobre e contra os bispos. Ele fica feliz de se cercar deles desde que não sejam mais que figurantes no palco, sem nenhuma voz nem direito de voto. É por isso que, veneráveis bispos, vocês não deveriam agir sozinhos, mas na comunidade dos outros bispos, dos padres e dos homens e mulheres que constituem a Igreja.

4. A obediência incondicional só é devida a Deus: embora em sua consagração episcopal vocês tenham tido de fazer um juramento de obediência ao papa, sabem que a obediência incondicional não deve jamais ser prestada a nenhuma autoridade humana; ela só é devida a Deus. Por essa razão, vocês não deveriam se sentir impedidos por seu juramento de falar a verdade sobre a crise atual que enfrentam a Igreja, sua dioceses e seu país. Seu modelo deveria ser o apóstolo Paulo, que ousava discordar de Pedro como em "resisti-lhe francamente, porque era censurável"! (Gálatas 2:11). Pressionar as autoridades romanas no espírito da fraternidade cristã pode ser permissível e até necessário quando elas não se colocam à altura do espírito do Evangelho e de sua missão. O uso do vernáculo na liturgia, as mudanças dos regulamentos que governam casamentos mistos, a afirmação de tolerância, democracia e direitos humanos, a abertura para uma atitude ecumênica, e muitas outras reformas do Vaticano II só foram alcançados pela pressão tenaz de baixo para cima.

5. Trabalhem por soluções regionais: o Vaticano com frequência tem feito ouvidos surdos a demandas bem fundamentadas do episcopado, dos padres e da laicidade. Isso é mais razão ainda para se buscar soluções regionais sábias. Como todos vocês sabem, a regra do celibato, que foi herdade da Idade Média, representa um problema particularmente delicado. No contexto atual do escândalo dos abusos sexuais, a prática tem sido cada vez mais posta em questão. Contra a vontade expressa de Roma, uma mudança pareceria pouco possível; mas não há razão para uma resignação passiva. Quando um padre, após considerações maduras, deseja se casar, não há razão porque ele deva renunciar automaticamente a seu ministério quando seu bispo e sua paróquia ficarem do seu lado. Conferências episcopais individuais poderiam tomar a frente com soluções regionais. Seria melhor, porém, buscar uma solução para toda a Igreja, portanto.

6. Peçam um concílio: assim como a conquista da reforma litúrgica, liberdade religiosa, ecumenismo e diálogo entre religiões requereu um concílio ecumênico, agora é necessário um concílio para resolver a escalada de problemas que pede uma reforma. No século anterior à Reforma, o Concílio de Constança decretou que concílios deveriam ser realizados a cada cinco anos. Mas a Cúria Romana conseguiu contornar essa decisão. Está fora de dúvida que a Cúria, temendo uma limitação de seu poder, faria qualquer coisa a seu alcance para impedir a realização de um concílio na presente situação. Assim, cabe a vocês promoverem o apelo por um concílio ou ao menos por uma assembleia representativa de bispos.

Com a Igreja em crise profunda, este é meu apelo a vocês, veneráveis bispos: ponham em ação a autoridade episcopal que foi reafirmada pelo Concílio Vaticano II. Nesta situação urgente, os olhos do mundo estão voltados para vocês. Incontáveis pessoas perderam sua confiança na Igreja Católica. Somente admitindo aberta e honestamente esses problemas e realizando resolutamente as reformas necessárias a confiança poderá ser recuperada. Com o devido respeito, eu lhes rogo que façam a sua parte - com seus colegas bispos até onde for possível, mas também sozinhos se preciso for - no "destemor" apostólico (Atos 4:29, 31). Deem a seus fiéis sinais de esperança e encorajamento e deem a nossa Igreja uma perspectiva para o futuro.

Com calorosas saudações na comunidade da fé cristã,

Do seu, Hans Küng

* Hans Küng, teólogo suíço, é escritor e professor emérito de teologia ecumênica na universidade tübingen, alemanha, escreveu este artigo para oNew York Times

_Tradução de Celso M. Paciornik