terça-feira, 11 de outubro de 2011

Luta pela meia-entrada nos jogos da Copa “ganha corpo” - Portal Vermelho

Luta pela meia-entrada nos jogos da Copa “ganha corpo” - Portal Vermelho

O ministro do Esporte, Orlando Silva, declarou que “nossa linha não é restringir direitos”. A deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), membro da comissão especial que analisará a Lei Geral da Copa, diz que “questões com relação a nossa soberania de legislação nacional chegarão a um entendimento que a Fifa terá que absorver”. O presidente da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes), Yann Evanovick, destaca que “nossa opinião é que a lei brasileira não pode se submeter à lei da Fifa”.

As declarações dão o norte da luta pela meia-entrada nos jogos da Copa do Mundo de 2014. A Fifa (Federação Internacional de Futebol) não aceita desconto nos ingressos para os jogos. O Estatuto do Idoso e legislação nacional garantem 50% de desconto nos ingressos para eventos esportivos e culturais para idosos e juventude.






Leia também: Deputado chama entidades para luta pela meia entrada na Copa





Relator e Idec divergem sobre Lei Geral da Copa
“Vamos ver o caso concreto e buscar uma saída”, anunciou o ministro Orlando Silva. A mesma disposição demonstra Jô Moraes. Para ela, é possível discutir alternativas de compensações, “para que a juventude, grande público desses eventos, possa participar com todos os seus direitos”.

“Eu acredito que essa é uma legislação nacional que deverá ser defendida. Essa é a orientação da presidente Dilma, com apoio do ministro Orlando”, destaca a deputada.

“A construção dos entendimentos terá que se realizar ao longo do processo de aprovação da lei”, anunciou Jô Moraes, enfatizando a existência da legislação nacional, que é o Estatuto do Idoso e meia-entrada para a juventude, que deverão ser respeitadas.

O líder estudantil também está empenhado em fazer valer os direitos dos jovens. Yann Evanovick diz que “o povo e a juventude brasileira querem participar desse evento. Sem o instrumento da meia-entrada, uma parcela significativa da população ficará de fora desse evento”, afirma, enfatizando que “não tem meio termo, nada menos do que a meia-entrada”.

A Comissão Especial que vai analisar a Lei Geral da Copa será instalada nesta terça-feira (11). A expectativa do governo é de que a legislação para o evento seja votada pelo Congresso até o fim deste ano.

De Brasília
Márcia Xavier