quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Centrais consideram insuficiente redução de 0,5% na Selic - Portal Vermelho

Centrais consideram insuficiente redução de 0,5% na Selic - Portal Vermelho

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) emitiu nota, em seu portal, criticando a redução de somente meio ponto percentual da taxa básica de juros, baixando de 12% para 11,5% ao ano. Força Sindical e UGT também criticaram a timidez da decisão.

Confira o comunicado da CTB:

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, colegiado formado pelos diretores e presidente da autoridade monetária, em reunião nesta quarta-feira, 19/10, anunciou uma nova redução na taxa básica de juros da economia brasileira (Selic) em 0,5 ponto percentual, caindo de 12% para 11,5% ao ano.

Leia também:

BC mantém tendência e reduz Selic para 11,5% ao ano
A redução na taxa de juros foi uníssona na reunião que aconteceu nesta terça-feira, 18/10, no lançamento do movimento “Por um Brasil com juros baixos: mais empregos e maior produção”, quando empresários, economistas e sindicalistas se reuniram em São Paulo para assinar um documento a favor da redução da taxa básica de juros.

Tinha uma grande expectativa entre os presentes que esperavam uma queda acentuada, apesar da expectativa dos economistas dos bancos que previam uma redução de 0,5 ponto percentual nos juros, para 11,50% ao ano, o que acabou se confirmando.

O presidente da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, Wagner Gomes, declarou: “Considero insuficiente a queda de 0,5% para que o país continue a enfrentar a crise financeira internacional e espero que a taxa de juros continue caindo em um percentual maior ainda”.

CTB


Outras centrais também cobraram maior redução

As centrais sindicais consideraram que a redução de 0,50% na taxa básica de juros (Selic), anunciada hoje (19) pelo Comitê de Política Monetária (Copom), foi “muito pequena”.

Por meio de nota, o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, voltou a dizer que o Banco Central “acertou no remédio, mas errou na dose”.

“A redução é positiva, mas insuficiente. O que há para comemorar é que a redução do índice – que foi de 12% para 11,50% – reflete a pressão da sociedade, especialmente do movimento sindical, que constantemente tem-se manifestado a favor de queda ousada na taxa básica de juros. Esperamos, agora, que o Copom ao menos mantenha esse ritmo de queda, que, apesar de suave, serve de alento para a economia”, disse o presidente da Força Sindical.

Para Ricardo Patah, da União Geral dos Trabalhadores (UGT), faltou ousadia ao Banco Central para reduzir ainda mais os juros. “A UGT apoia a decisão do Copom em reduzir a taxa Selic em 0,5%. Lamenta apenas ter faltado ousadia a favor do Brasil e se adotar uma redução mais enérgica, de pelo menos um ponto percentual. Isso sim, seria uma decisão pelo Brasil, pela geração de empregos e pela produção”, disse Patah, por meio de nota.

Com agências