sábado, 22 de outubro de 2011

Renato Rabelo, presidente do PCdoB: “eles não sabem com quem estão lidando” - Portal Vermelho

Renato Rabelo reafirma: “eles não sabem com quem estão lidando” - Portal Vermelho



A abertura da 17ª Conferência do PCdoB-RJ se tornou um grande ato de desagravo contra os ataques sofridos pelo ministro do Esporte, Orlando Silva, e o PCdoB, com mais de 500 pessoas lotando o auditório do Hotel Rio’s Presidente, na noite de sexta (21). O presidente nacional do Partido, Renato Rabelo, transmitiu o resultado da reunião de Dilma com Orlando, que recebeu da presidente a garantia da sua continuidade no cargo.


Renato Oliveira
orlando

PCdoB-RJ reafirma seu apoio a Orlando

O ministro Orlando Silva, que não pode estar presente ao ato, mandou uma carta especial para o PCdoB-RJ, onde reafirma que “não nos iludamos, o objetivo final é derrotar o projeto transformador liderado pela presidente Dilma. Não houve, não há e não haverá nunca ninguém capaz de nos intimidar”. (veja no final a carta na íntegra).

Leia também: Energia revolucionária

Apoio de Lula

Para Renato Rabelo, esse ato de “abertura da conferência do Rio de Janeiro acontece em um momento crucial da trajetória de 90 anos de nosso Partido, que também vamos comemorar no estado do Rio. Acabei de receber do ex-presidente Lula a solidariedade ao nosso Partido e ao ministro. Lula disse: ‘vocês têm que resistir, o ministro tem que resistir’”.

“O nosso ministro procurou responder às acusações de forma decidida, altiva e rapidamente, mostrando que não tem o que temer. O PCdoB não vai temer diante de uma montagem como essa, se intimidar, se dobrar. O PCdoB participou de todas as lutas importantes do Brasil, contribuiu de forma significativa nas lutas populares e diante desses ataques o nosso Partido se tempera e se une. O ministro merece toda a nossa confiança, todo o nosso apoio. Eles não sabem com quem estão lidando”, declarou Renato.

Apoio dos comunistas do Rio de Janeiro

A presidente estadual do PCdoB-RJ, Ana Rocha, ressaltou a importância desse ato de desagravo e apresentou uma moção de apoio ao ministro e ao PCdoB, onde destaca que em “face aos ataques que a mídia hegemônica tem, nos últimos dias, desfechado contra o ministro e o Partido, os comunistas do Rio de Janeiro não têm quaisquer dúvidas em afirmar que tais ataques visam atingir uma força política que tem crescido e ampliado sua influência”. (veja no final a moção na íntegra).

Partidos levam seu apoio a Orlando

O ato contou com a presença de diversas personalidades sociais do mundo político. Enviaram representantes o PMDB, PDT, PRB, PT, PSB, PPL e PRB. O deputado federal Edson Santos (PT), declarou toda sua solidariedade ao ministro Orlando. O presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani, também demonstrou sua confiança no ministro e disse que o PCdoB não tem nada a temer e que o governo Dilma não pode recuar. “O PMDB tem orgulho de ter o PCdoB como um aliado no Rio de Janeiro”.

Representantes da direção estadual do PSB também manifestaram sua solidariedade, afirmando que tal momento serve para unir o PCdoB e toda a esquerda democrática. Segundo o deputado federal Glauber (PSB), sua presença tinha uma motivação especial: “onde tiver qualquer tipo de injustiça não podemos deixar de estar presentes para estender a mão e dizer que não aceitamos isso”. Da mesma forma, a prefeita de São Gonçalo, Aparecida Panisset (PDT), disse que “nós temos uma unidade de esquerda nesse país, não podemos aceitar que denigram nosso nome. Estou aqui para dizer que estou junto com vocês”.

Para o presidente da UNE, Daniel Iliescu, “esse é um momento decisivo na história do PCdoB, que com muita coragem enfrenta e se fortalece a cada ano que passa. É o partido que se orgulha de ser o futuro, o maior partido do Brasil em termos de juventude. E o PCdoB tem orgulho da sua gente e com muita alegria pode falar do Orlando Silva, o ministro mais jovem do país”.

A deputada federal Jandira Feghali, a deputada estadual Enfermeira Rejane, o vice-presidente do PCdoB-RJ, Edmilson Valentim, e o membro da Comissão Política do Comitê Central do PCdoB, João Batista Lemos, também destacaram a força do camarada Orlando diante desses ataques e sua imediata resposta contra todas estas mentiras.

Também fizeram questão de levar seu apoio ao PCdoB a deputada estadual Rosângela Gomes (PRB), que levou o apoio do senador Marcelo Crivela, e Conceição Cassano (PPL). O ato contou ainda com as presenças do secretário nacional de Meio Ambiente do PCdoB, Aldo Arantes, do cantor Waguinho, do presidente da UEE-RJ, Igor Mayworm, do coordenador de Juventude da Prefeitura do Rio, Igor Bruno, dos vereadores do PCdoB Roberto Monteiro, Saulo Peres, Max Goulart, Marquinho Motorista, José Antônio e Fenando Cid, entre outros, da deputada federal Jô Moraes, do presidente da CTB-RJ, Maurício Ramos, da presidente da UJS-RJ, Flávia Calé, da secretária de Educação de Nova Iguaçu, Dilceia Quintela, do secretário de Esporte do Rio, Romário Galvão, da coordenadora estadual da UBM, Helena Piragibe, da coordenadora da Unegro, Claudia Vitalino, de Joílson Cardoso, da CTB, da presidente do Cremerj, Marcia Rosa, e do presidente do Coren, Pedro de Jesus.

Por fim, o presidente Renato Rabelo contou sobre o fim da reunião de Dilma com Orlando. Segundo ele, “a conversa foi positiva, respeitosa e muito proveitosa. A presidente disse para Orlando ‘se manter firme, assim como o PCdoB, porque vocês têm um grande respeito de minha parte e Orlando continua no governo com toda autoridade’”. Renato ainda informou que o PSDB pretende usar suas inserções de televisão para atacar o ministro e o PCdoB, ação, destacada por ele, como de pessoas desesperadas.

Veja abaixo a íntegra da carta de Orlando Silva à 17ª conferência do PCdoB-RJ

Camaradas,

Nosso trabalho à frente do Ministério do Esporte produziu êxitos e vitórias para o nosso país. Nossa condução é pautada pelo respeito sagrado à coisa pública e pelos nossos compromissos históricos de luta pela transformação do Brasil.

Vocês têm acompanhado os ataques violentos, as mentiras e calúnias, sem provas, que tentam imputar a mim e ao nosso Partido. Estes ataques são frutos da cobiça gerada pela dimensão alcançada pelo Ministério e pelo ódio de classe das forças conservadoras.

Repudiamos com todas as nossas forças a campanha difamatória veiculada na grande mídia nacional, que sem nenhum pudor quer macular 90 anos de uma história de lutas. Esta semana, chegaram ao cúmulo de veicular imagem de nosso camarada João Amazonas, atribuindo atos de corrupção ao nosso partido.

Desde o primeiro ataque fomos para luta de peito aberto. Chamamos uma coletiva, exigimos investigação e a apresentação de provas, que até hoje não apareceram. Nossa atitude e a unidade inquebrantável de nosso partido surpreenderam. Não seremos intimidados! Não aceitaremos o roteiro traçado pelas forças conservadoras!

Nos tempos de terror usavam a tortura, prisão e assassinatos. Hoje, as mesmas forças usam o linchamento político, a execração pública para eliminar nossos companheiros. Não nos iludamos, o objetivo final e derrotar o projeto transformador liderado pela presidente Dilma.

Não houve, não há e não haverá nunca ninguém capaz de nos intimidar. Nossa força vem dos que foram caçados no Estado Novo, dos que tombaram no Araguaia, dos ideais dos que foram fuzilados covardemente na Chacina da Lapa.

Nossa força para resistir a esta campanha infame vem da presença de todos vocês nesta conferência. Nada será capaz de nos dobrar porque nossos sonhos não se dobram, crescem a cada dia pela disposição de luta de cada um de vocês.

Neste momento, como disse Pablo Neruda em sua carta ao Partido, me sinto indestrutível, porque contigo, meu partido, não termino em mim mesmo.

Repito para vocês o que disse à Comissão Política Nacional do Comitê Central. Na dureza da presente luta, vivo um novo batismo no partido. No calor da luta de classes reafirmo: Viva o Partido Comunista do Brasil!!!

Orlando Silva Jr.

Veja abaixo a moção apresentada na abertura da 17ª conferência do PCdoB-RJ

A 17ª Conferência Estadual do PCdoB solidariza-se com o camarada Orlando Silva, ministro dos Esportes, e com o Comitê Central do PCdoB, face aos ataques que a mídia hegemônica tem, nos últimos dias, desfechado contra o ministro e o Partido.

Os comunistas do Estado do Rio de Janeiro não têm quaisquer dúvidas em afirmar que os ataques ao ministro dos Esportes visam, na verdade, atingir uma força política que tem crescido e ampliado sua influência, e que em quase 90 anos construiu uma trajetória de coerência e lealdade com os mais elevados interesses do povo e da pátria. Esse tipo de ataque coloca em risco o avanço da democracia em nosso país.

O que os nossos inimigos não nos perdoam é o nosso compromisso inabalável com duas diretrizes básicas:

1) Ter uma ampla política de alianças, sem jamais deixar de ser o partido do proletariado;
2) Inovar nossas formas de atuação, sem renegar a teoria revolucionária e sem jamais fugir à luta.

Ao expressar nossa solidariedade ao camarada Orlando e ao Comitê Central do nosso Partido, os comunistas do Estado do Rio proclamamos que nada nos afastará da meta maior de construir um Brasil cada vez mais soberano e democrático, como caminho para o socialismo.

17ª Conferência Estadual do PCdoB-RJ – 21, 23 e 24 de Outubro de 2011


Do Rio de Janeiro
Marcos Pereira