quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Nova derrota dos trabalhadores na Comissão do Trabalho da Câmara - Portal Vermelho

Nova derrota dos trabalhadores na Comissão do Trabalho da Câmara - Portal Vermelho

Os trabalhadores amargaram nova derrota nesta quarta-feira (24) na Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados. Após quatro horas e meia de intensa discussão, os parlamentares aprovaram, por 13 votos favoráveis a sete contrários, o relatório do deputado Sílvio Costa (PTB-PE), o projeto de lei que trata da Previdência Complementar dos Servidores Públicos.


Agência Câmara
Nova derrota dos trabalhadores na Comissão do Trabalho da Câmara

Daniel Almeida fez coro aos colegas do PCdoB que criticaram a pressa na votação.

A bancada do PCdoB votou contra o projeto. O deputado Assis Melo (PCdoB-RS) se manifestou contra as manobras da Mesa Diretora da comissão na condução da votação da matéria e levantou a necessidade de discussão mais aprofundada do projeto, com a participação dos servidores públicos que serão afetados diretamente pela proposta.

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) também criticou a forma açodada como foi apresentado o projeto em discussão e condenou o substitutivo apresentado pelo relator, deputado Sílvio Costa, alegando que a proposição deveria ser debatida por partes e por toda a sociedade, pois, da forma como está apresentada, coloca em risco a aposentadoria de servidores públicos.

Já o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA), após reforçar as críticas contra a forma de condução da votação do projeto, alertou que os servidores não podem ser penalizados pelos problemas na economia nacional e mundial. Para ele, o projeto é nocivo não só aos servidores, mas também à sociedade.

Assis Melo acrescentou que a aprovação da matéria desestimula o ingresso de novos servidores nos órgãos públicos e o maior prejuízo é para o país, com o enfraquecimento das instituições que integram o estado brasileiro.

Melo afirmou que o maior interessado na aprovação da matéria são os bancos, que lucrarão com os planos de aposentadoria. "O governo vai pegar o dinheiro público e dos trabalhadores e entregar ao sistema financeiro", criticou.

A votação da matéria ainda precisa ser concluída na próxima reunião da comissão, já que restam oito destaques para serem apreciados. O encerramento da votação deve ocorrer na próxima quarta-feira (31).

De Brasília
Márcia Xavier