quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Otan gastará 3 bilhões de euros em aviões não tripulados - Portal Vermelho

Otan gastará 3 bilhões de euros em aviões não tripulados - Portal Vermelho

A Otan gastará 3 bilhões de euros para adquirir e fazer funcionar cinco drones (aviões espiões não tripulados) concebidos nos Estados Unidos. A compra tem o objetivo de colocar em andamento o programa de vigilância aérea na Europa.


Os países da Otan investiram 1 bilhão de euros na aquisição de aviões de reconhgecimento sem piloto, do tipo Globval Hawks. Gastarão outros 2 bilhões de euros com o funcionamento do sistema global de vigilância, denominado Alliance Ground Surveillance (AGS), durante duas décadas.

O projeto, que prevê que os aviões terão base em Sigonella (Itália), tem como objetivo oferecer aos responsáveis militares uma imagem global da situação em terra obtida a partir de grandes altitudes e independentemente das condições meteorológicas e da luz.

Até agora a Otan vinha encontrando grandes dificuldades para financiar a iniciativa, que em 2010 foi definida como objetivo prioritário. Finalmente, 13 países (Bulgária, República Checa, Estônia, Alemanha, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Romênia, Eslováquia, Eslovênia e Estados Unidos) serão responsáveis pela compra de cinco "drones" de fabricação americana.

Embora apenas esses Estados irão pagar pelos aviões, estes serão mantidos e operados pela Otan em benefício dos 28 membros. Está previsto que as aeronaves estejam disponíveis entre 2015 e 2017, informou a organização.

O Reino Unido e a França fornecerão ao dispositivo sistemas de vigilância adicionais que já têm à sua disposição.

A Espanha, que originalmente estava envolvida no projeto, decidiu abandoná-lo em 2009 junto com outros membros, ao considerar que as mudanças introduzidas sobre os planos originais tinham diminuído seu interesse do ponto de vista dos retornos industriais, como na geração de postos de trabalho.

"A recente operação na Líbia ilustrou a importância desses equipamentos", disse um responsável da Aliança Atlântica. Os aviões europeus realizaram a maior parte das saídas sobre a Líbia, mas apoiando-se essencialmente em informações recebidas graças a drones do exército norte-americano.

O lançamento da AGS, em discussão desde 1992, foi oficializada em inícios de fevereiro pelos ministros de Defesa dos 28 países da Otan.

Com Cubadebate