quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

PCdoB: dirigir Ciência e Tecnologia é desafio estratégico  - PCdoB. O Partido do socialismo.

PCdoB: dirigir Ciência e Tecnologia é desafio estratégico  - PCdoB. O Partido do socialismo.

Para discutir a execução da
tarefa à frente do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação
(MCT&I), a Comissão Política Nacional do PCdoB realizou reunião
extraordinária, nesta terça-feira (6), em Brasília, com o novo ministro
da pasta, Aldo Rebelo. Segundo o presidente nacional do Partido, Renato
Rabelo, o propósito da reunião é avaliar a participação do Partido no
segundo governo Dilma.  
Márcia Xavier
PCdoB: dirigir Ciência e Tecnologia é desafio estratégico 
Fernandes explicou que a ciência e tecnologia no Brasil é uma área avançada, mas os avanços não são sistêmicos, são pontuais.


Segundo ele, essa é uma tarefa mais complexa que o
Ministério do Esporte, já que o MCT&I tem estrutura e orçamento
maior, portanto é uma grande responsabilidade do Partido (e do Aldo)
perante o povo e a sociedade brasileira. Rebelo destacou que o ministro e
a própria presidenta Dilma enfatizaram o papel estratégico que a
ciência e tecnologia devem exercer no contexto do desenvolvimento
nacional.



Para o ministro Aldo Rebelo, a tarefa de conduzir a ciência, tecnologia e
inovação, embora mais complexa, de mais alta responsabilidade, porque é
uma área estratégica, que lida com questões como política espacial, de
energia nuclear e defesa, não representa dificuldade.



“Nós vamos fazer o que precisar ser feito em função do interesse público
e nacional, com paciência e humildade. Mas enfrentar as questões sem
nos intimidarmos por interesses corporativos”, afirmou Aldo Rebelo.



“É preciso ter clareza dos objetivos mais gerais do Ministério em
administrar conflitos, fruto das desigualdades e desequilíbrios do
próprio país. Vamos ter uma atitude afirmativa e contar com aliados em
todo o Brasil”, afirmou Aldo Rebelo.



O ministro também afirmou o que já tinha dito anteriormente Renato
Rabelo, que para a execução da tarefa, o Partido conta com quadros e
amigos na área. E citando um desses quadros, indicou o seu secretário
executivo, Luiz Fernandes, para apresentar a atuação do sistema da
ciência e tecnologia no Brasil.



Área avançada



Fernandes explicou que a ciência e tecnologia no Brasil é uma área
avançada, mas os avanços não são sistêmicos, são pontuais, o que
representa uma dependência tecnologia e ausência de projetos. Ele
discorreu sobre a evolução do orçamento na área e sobre os quatro
grandes eixos da política de ciência e tecnologia.



Os quatro eixos de atuação são a expansão, integração e consolidação do
Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia; política industrial com foco
em inovação; Programas Nacionais Estratégicos (espacial, nuclear e de
defesa) e Ciência e Tecnologia para o desenvolvimento.



Na abertura da reunião, Renato Rabelo destacou que o PCdoB ocupa o
ministério com o objetivo de contribuir e que os comunistas não recusam
nenhum desafio.



Renato Rabelo contou que quando a proposta foi feita ao Partido pela
presidenta Dilma, ela disse textualmente: “Esse ministério é a cara do
PCdoB”. No que concorda Renato Rabelo, destacando os quadros e muitos
amigos do PCdoB atuando nessa área.



Ele também parabenizou Aldo Rebelo pelo êxito do resultado alcançado na
tarefa que coube a ele à frente do Ministério do Esporte, levando em
conta a realização da Copa do Mundo no Brasil e outras tarefas no
Ministério. E estendeu os parabéns à bancada do partido no Congresso que
contribuiu com esse êxito.



Setor fortalecido



Renato Rabelo também destacou que a visão que o PCdoB tem da ciência e
tecnologia coincide com a ideia expressa pela presidenta Dilma de que o
setor vem sendo fortalecido e deve se fortalecer ainda mais, com
possibilidade de maiores investimentos.



O ministro Aldo Rebelo, ao iniciar sua fala, fez um balanço da passagem
no Ministério do Esporte, que não está encerrada porque o um de seus
quadros ocupará a Secretaria Executiva. Segundo ele, “o principal
reconhecimento do trabalho realizado no Ministério é o pedido da
presidenta de que a equipe das Olimpíadas permanecesse no Ministério.”



Na avaliação de Rebelo, a construção do Ministério do Esporte está
relacionada com o PCdoB, que está lá desde o início em 2003, tendo
construído a estrutura, o orçamento e a legislação do setor do esporte
no Brasil, com especial atuação na realização da Copa do Mundo no Brasil
este ano e das Olimpíadas e Paraolimpíadas do Rio de Janeiro em 2016.



De Brasília

Márcia Xavier