sábado, 8 de setembro de 2012

INÁCIO QUESTIONA JUDICIALMENTE PESQUISA DO INSTITUTO DATAFOLHA SOBRE A ELEIÇÃO EM FORTALEZA





Inácio Arruda, candidato do PCdoB a prefeito de Fortaleza, comunicou na manhã deste sábado, em entrevista coletiva, a apresentação de questionamento judicial à nova pesquisa do instituto Datafolha sobre as eleições municipais na capital cearense. A pesquisa foi registrada no último dia 6/9, com previsão de divulgação nos próximo dia 11/9. No questionário a ser aplicado pelos pesquisadores, a simulação do cenário eleitoral para segundo turno inclui apenas nomes de quatro candidatos, excluindo os nomes de Inácio e de outros postulantes.

“A forma como a pesquisa está sendo aplicada é extremamente equivocada. Ela induz o eleitor e compromete a lisura do processo eleitoral. O critério adotado nos prejudica diretamente, pois a consulta já esta sendo feita baseada em provável resultado, induzindo o eleitor a acreditar que estaríamos fora da disputa do segundo turno”, afirmou Inácio, durante concorrida entrevista coletiva realizada em seu Comitê de Campanha, na Avenida da Universidade. "Isso é muito grave. Por isso, estamos apresentando um questionamento legal sobre essa pesquisa. A pesquisa já está na rua e não iremos aceitar esta situação silenciosamente. A sociedade tem direito a uma eleição limpa, a poder escolher de forma justa e livre os seus representantes”, defendeu.

“Na eleição de 2000, por exemplo, os candidatos que disputavam a Prefeitura e chegaram ao segundo turno não eram os que configuravam nas primeiras colocações das pesquisas. Chegamos ao segundo turno, mesmo sem ter nosso nome na pesquisa do mesmo instituto”, destacou Inácio. "As pesquisas fazem parte do processo eleitoral, mas não podem ser manipuladas com o intuito de ferir o processo democrático. Não podemos ficar calados diante disso”.

Meios legais

O advogado Irapuã Camurça, coordenador jurídico da campanha de Inácio, confirmou que entrará ainda no início da tarde de



ste sábado com uma representação à 114ª Junta Eleitoral, solicitando a impugnação da pesquisa, para adequação ou suspensão da divulgação. “Nos termos em que a pesquisa está sendo feita, ela fere o princípio da Isonomia, pelo qual todos devem receber o mesmo tratamento. Apresentaremos sólidos argumentos dos pontos de vista técnico, jurídico e político”, ratificou.

Segundo o advogado, a elaboração do questionário da pesquisa não levou em conta que, pela margem de erro adotada pelo próprio instituto, há uma situação de empate técnico entre vários candidatos. Porém, somente quatro deles foram incluídos no questionário, para consulta aos eleitores sobre possíveis cenários de segundo turno. “Na dúvida, que se colocassem os nomes de todos os candidatos. Da forma como está, a pesquisa privilegia alguns nomes e traz prejuízo à candidatura de Inácio e a outras candidaturas”, confirmou.

Para Irapuã Camurça, a representação judicial deverá ser analisada rapidamente. “As decisões judiciais em torno dos casos eleitorais têm sido céleres. Os juízes estão analisando rapidamente os pedidos, a fim de evitar possíveis prejuízos nas campanhas”, apontou.

Além de Inácio Arruda e de Irapuã Camurça, também estiveram presentes na entrevista coletiva o candidato a vice-prefeito, Chico Lopes; o advogado Benedito Bizerril; o presidente do Comitê Estadual do PCdoB, Carlos Augusto Diógenes (Patinhas); o presidente do Comitê Municipal do PCdoB de Fortaleza, Luís Carlos Paes, e candidatos que disputam vagas na Câmara Municipal de Fortaleza pelo PCdoB, como Eliana Gomes, Evaldo Lima, Professor Auri e João Batista.

Repercussão nas redes sociais

O anúncio de que a nova pesquisa inclui simulações de intenção de voto para o segundo turno sem citação ao nome do candidato Inácio Arruda causou polêmica e ganhou grande destaque nas redes sociais. As hashtags (palavras em destaque) #datafalha e #inacionosegundoturno estão ocupando os primeiros lugares nos Trending Topics (assuntos mais comentados) Fortaleza do Twitter na tarde de sexta-feira, 7/9, demonstrando a contrariedade dos internautas quanto à pesquisa.