domingo, 8 de março de 2015

Homenagem às mulheres é a defesa da Democracia e da Presidenta Dilma - Paulo Vinícius Silva

A polissemia é a multiplicidade dos significados presente em tudo que fazemos, e de um modo próprio na arte e na literatura, incluindo-se aí as artes plásticas. Nesse 8 de março, um domingo, observamos a capa de O Globo, que no dia das mulheres traz uma caricatura que evoca horror e perplexidade. Assim são as caricaturas, em especial se políticas, em especial em momentos delicados. Mas não há que culpar o caricaturista, há que entender o ânimo de nossa imprensa e a armadilha polissêmica em que ela própria se meteu.

Na caricatura, uma Dilma, ajoelhada, vestida com o tenebroso uniforme laranja - que os EUA impõem aos presos de Guantânamo, e também o Estado Islâmico a suas vítimas (com o repúdio da amplíssima maioria do Islã) – olha para um mascarado em roupas pretas, como os do EI, com uma faca no pescoço. E Dilma olha para o seu carrasco e pede para negociar.

O mau gosto é evidente, mas a imagem diz muito mais do que uma leitura apressada pode nos fazer ver. E o fato de ocorrer no Dia Internacional da Mulher não o desnaturaliza, mas afirma. Afinal, hoje não é um dia de consumo, hoje é um dia de luta, criado pelas mulheres trabalhadoras e socialistas em uma luta secular pela emancipação das mulheres, e não apenas do machismo, mas do sexismo e do capitalismo. E a imagem diz isso: é preciso defender Dilma da vil degola que os corruptos, a imprensa golpista, os imperialistas cobiçosos das nossas riquezas no Pré Sal. Dilma, coração valente, não se dobrará, mas para isso precisa do povo ao seu lado. 

Está em curso um golpe de Estado contra a primeira mulher Presidenta do Brasil. Eles involuntariamente mostraram a sua verdadeira face na charge de Caruso. O povo deve ir ao socorro de Dilma contra os interesses funestos que querem desrespeitar a soberania popular e se apoderar do Brasil. E essa semana do Dia Internacional da Mulher, que terá hoje seu início e dia 13 de Março o seu ápice, deve servir para isso, defender a Democracia, defender a Presidenta Dilma, essa a melhor maneira de homenagear as mulheres, a democracia, a soberania e todas as vitórias conquistadas nos últimos 12 anos. Não passarão!