sábado, 26 de novembro de 2011

Manuela: "É preciso resgatar o protagonismo de Porto Alegre" - PCdoB. O Partido do socialismo.

Manuela: "É preciso resgatar o protagonismo de Porto Alegre" - PCdoB. O Partido do socialismo.
A pré-candidatura da deputada federal Manuela D’Ávila à Prefeitura de Porto Alegre tem se consolidado entre os eleitores da capital gaúcha. Recentemente, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), defendeu publicamente a aliança de seu partido com o PCdoB e com o PSB nas eleições municipais do próximo ano.

Por Mariana Viel

Os resultados das primeiras pesquisas de intenção de voto na capital evidenciam a necessidade de construção de um novo projeto para a cidade. Faltando pouco menos de um ano para as eleições de 2012, as pesquisas realizadas por institutos locais e divulgadas nacionalmente apontam a vantagem de Manuela em relação ao atual prefeito, José Fortunati (PDT).

Em entrevista ao Vermelho, a deputada comunista explica que o resultado das pesquisas mostram a insatisfação dos gaúchos com o atual modelo político adotado na cidade. “Porto Alegre já foi um modelo para o mundo, uma cidade com vocações bem exploradas. Hoje, vivemos um momento de estagnação, que se reflete na falta de investimentos em uma gestão moderna e transparente e na burocratização dos serviços”.

Segundo a deputada – que se diz honrada de estar à frente das pesquisas em um ano em que seu mandato na Câmara tem sido de “muito trabalho e muitos avanços” – há anos a educação, a segurança e a saúde são as principais preocupações dos porto-alegrenses.

“Nossa pré-candidatura quer superar esses velhos problemas, quer uma gestão do nosso tempo, mais acessível, mais próxima do cidadão; quer a participação pensada em 2012; quer resgatar o protagonismo da cidade. Há um universo de mudanças positivas que a cidade precisa e pode promover. É preciso enfrentar os velhos problemas com soluções viáveis hoje, mas que pensem a Porto Alegre do futuro, também”.

Cenário eleitoral

Apesar de ainda indefinido, o cenário político na capital reforça a importância da união das forças progressistas. Em 2008, a divisão da esquerda nas eleições municipais resultou na derrota desse campo no pleito. Já em 2010, a unidade da esquerda significou a vitória, em primeiro turno, do governador Tarso Genro.

De acordo com ela, o governador tem defendido publicamente a união entre os setores mais avançados do estado como forma de assegurar a consolidação de uma política programática e propositiva. “A consolidação dessa aliança em Porto Alegre significa realinhar a cidade, recolocá-la no cenário nacional e internacional, recuperar e potencializar suas vocações. No Brasil e no Rio Grande do Sul esse é o caminho escolhido”.

90 anos de luta

Em relação à recente campanha difamatória promovida pela mídia conservadora contra o PCdoB e algumas de suas lideranças nacionais, ela lembra que a história o Partido foi construída por meio de muita luta, enfrentamento e superação.

A deputada ressalta que a postura do próprio PCdoB é defender a realização ampla da investigação de todas as suspeitas levantadas. “Os ataques e denúncias feitas são vazias, não houve comprovação ou apresentação de provas”.

Manuela falou também das denúncias sobre um suposto desvio de verba, em 2010, que teria sido usado em benefício de sua campanha. Na época, a deputada foi taxativa ao afirmar que essa é uma prática política que combate há pelo menos 13 anos. “Corrupção e política, em alguns casos caminham juntas. Minha luta, desde que ingressei no movimento estudantil, foi para combater aqueles que veem e fazem essa política. Não vou, jamais, me igualar àqueles a quem combato".

Ela explicou, que na época, usou todos os meios de comunicação disponíveis para esclarecer os fatos. “Todas as providências foram tomadas, respondi aos gaúchos ao vivo na internet e em todos os canais de comunicação. A política não pode ser alvo de denuncismo, ao contrário. A política deve ser o espaço de proposição, de mudança, de superação, de avanços. O mais importante é que a verdade prevalece. Se não tem todo o espaço público que as denúncias possuem, ela aparece e respalda nossa história e nosso trabalho”.