sexta-feira, 5 de abril de 2013

Comissão da Verdade: presidente avalia adiar prazo - Agência Senado

Jornada de Lutas da Juventude também sugere a Dilma divulgação de relatórios parciais

BRASÍLIA Após se reunir ontem com representantes da Jornada de Lutas da Juventude Brasileira, a presidente Dilma Rousseff prometeu analisar o pedido de prorrogação dos trabalhos da Comissão Nacional da Verdade. Segundo relato dos jovens, a presidente disse que vai conversar com os integrantes da comissão para avaliar o adiamento e a divulgação de relatórios parciais.
A Comissão da Verdade foi instalada em 16 de maio de 2012, com prazo de dois anos para apurar as violações de direitos humanos entre 18 de setembro de 1946 e 5 de outubro de 1988. Segundo o presidente da UNE, Daniel Iliescu, Dilma considerou justas as observações apresentadas:
- A presidente se comprometeu a falar sobre isso com os comissionados e dar uma resposta sobre esses dois pontos - afirmou Iliescu.
No encontro, a presidente apoiou a proposta de investir 10% do PIB no ensino, mas reiterou que, para isso, será necessário que o Congresso aprove a medida provisória que destina toda a receita dos royalties do petróleo e o fundo do pré-sal para a educação.
Iliescu disse que a jornada reconhece avanços nos últimos dez anos na democracia, na educação e no desenvolvimento econômico e social.
- Mas não estamos satisfeitos. Ainda temos exclusão educacional, violência rural e urbana e desigualdade social. Como a presidente foi militante estudantil, viemos cobrar o cumprimento da nossa pauta - afirmou.
Além da educação, estão na pauta combate à violência contra a juventude negra, trabalho decente para a juventude, redução da jornada de trabalho, reforma agrária, democratização dos meios de comunicação, com aprovação do marco regulatório da mídia, e reforma política.