sábado, 4 de agosto de 2012

Café com ideias de Volnei Garrafa - Consulta para a Reitoria da UnB

http://consultaparareitoria.tumblr.com/post/28667672276/cafe-com-ideias-de-volnei-garrafa



Ana Lúcia Moura e Dominique Lima
Da Secretaria de Comunicação da UnB

De blazer xadrez sobre a camisa que traz o nome da chapa que comanda na disputa para reitor e o tradicional chapéu branco, Volnei Garrafa apresentou os quatro eixos de seu programa de campanha aos professores, alunos e funcionários que participaram de café da manhã com o candidato. O encontro, nesta sexta-feira, 3 de agosto, reuniu quase 300 pessoas na Faculdade de Ciências da Saúde. Ocupado por mesas enfeitadas, o corredor da unidade acadêmica que dá acesso à lanchonete ficou lotado.

“Um bom reitor para a UnB hoje tem de ter três requisitos: ser um acadêmico respeitado, ter experiência de gestão e ter experiência sindical. Nós temos tudo isso”, disse, ao abrir seu discurso, sobre um banquinho de madeira improvisado pelos apoiadores da chapa minutos antes.

Ao lado do vice na chapa, professor Luis Afonso Bermudez, do Centro de Desenvolvimento Tecnológico, Volnei detalhou três de suas principais propostas. A primeira é descentralizar administrativamente e financeiramente os campi. “Na Universidade de Paris, temos Paris I, Paris II, Paris III, um total de 12. Minha ideia é fazer o mesmo com a UnB. O campus Darcy Ribeiro, será UnB 1, o de Planaltina UnB 2, o de Ceilândia UnB 3 e o do Gama UnB 4”, explicou,

Outra proposta, continuou, é desmembrar o Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação (DPP). “Quando o DPP foi criado existiam 15 ou 20 programas de pós-graduação. Hoje são 150. Precisamos de uma estrutura com atividades voltadas exclusivamente para este fim”, disse à plateia, formada, principalmente, por professores, alunos e técnicos da Faculdade de Ciências da Saúde, mas com presença de docentes e estudantes de unidades como o Instituto de Ciências Biológicas e UnB Ceilândia.

A ideia de Volnei é criar o Decanato de Pós-Graduação e o Decanato de Pesquisa e Inovação. O candidato também destacou a intenção de criar o Decanato de Atenção ao Estudante. “Precisamos de um lugar onde os alunos possam ser ouvidos”, afirmou, arrancando aplausos dos alunos presentes no café da manhã, entre eles Rafael Arantes, da Faculdade de Ciências da Saúde, que manifestou no microfone seu apoio à chapa. Atualmente, a UnB tem o Decanato de Assuntos Comunitários.

Professores também ocuparam o palanque improvisado para declarar apoio ao candidato, que estava acompanhado da esposa, Haydee Poubel, professora aposentada do Instituto de Ciências Exatas, e seu vice. “O Volnei e o Bermudez representam a possibilidade de mudança que a UnB precisa neste momento”, disse Lilian Marly de Paula, diretora da Faculdade de Ciências da Saúde e ex-aluna de Volnei. “Meu apoio é a expressão de um posicionamento pessoal. Falo aqui não como diretora, mas como professora”.

O discurso foi seguido pelo da professora Olgamir Amância, secretária da Mulher do Distrito Federal e docente da Faculdade UnB Planaltina. “Os professores que compõem a chapa têm um trabalho social avançado na universidade e compromissado com a realidade do Distrito Federal. O professor Bermúdez, com sua experiência na área da tecnologia, é o melhor parceiro para o professor Volnei. Juntos, eles fortalecerão o diálogo com outros espaços de informação, entre instituições no Brasil e no exterior”, elogiu. Olgamir Amância também destacou o que espera da chapa. “Essa gestão privilegiará a pesquisa, e, tenho certeza, fará o necessário para articular recursos junto a órgãos de fomento”.

Também manifestaram apoio aos candidatos o professor Antônio Brasil, diretor da Faculdade de Tecnologia, Francisco de Assis Rocha Neves, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, outro ex-aluno de Volnei, e Rogério Marzola, servidor técnico do Instituto de Química.