domingo, 6 de maio de 2012

CTB participa do lançamento da Marcha Patriótica na Colômbia

CTB participa do lançamento da Marcha Patriótica na Colômbia

Ocorreu nos dias 21, 22 e 23 de abril o lançamento do movimento político e social Marcha Patriótica, em Bogotá, capital da Colômbia. Esse movimento é composto por organizações sociais, políticas, dos movimentos populares, além de personalidades democráticas que no país lutam contra o regime oligárquico que se instaurou na Colômbia. Esse regime vem implantando o neoliberalismo há mais de 20 anos. E desde essa época vem espalhando o terror e a guerra ao povo colombiano.

Confira abaixo o relato de Carlos Rogério Nunes, secretário de Políticas Sociais da CTB, representante da Central na Marcha Patriótica:

Diante dessa realidade, os movimentos sociais e políticos da Colômbia se propuseram a fundar uma organização que tem como proposta ser um instrumento de coesão para a mobilização popular que aponte uma confluência de ideias a ações democráticas e patrióticas que transformem as estruturas da injusta ordem social e política que submete o país a condições indignas de vida.

O movimento político e social Marcha Patriótica, além de se propor a mudar a ordem política e social da Colômbia, se baseia nos princípios da amplitude, da unidade e de caráter nacional.

A independência formal da Espanha veio em 20 de julho de 1810, porém a Colômbia não festeja seu bicentenário como país livre. Ao contrário, o país está mergulhado em uma guerra onde militares do governo e paramilitares, ambos de direita, contra as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – FARC, entre outras organizações de guerrilha. Mais recentemente, no governo de Álvaro Uribe e no atual Juan Manuel Santos, a situação da Colômbia tem piorado. Enquanto na maioria dos países da América Latina e Caribe se consolida um processo de mudança de governo no sentido das reformas democráticas e populares com vistas a um desenvolvimento econômico e social que reafirme a independência e a soberania popular, na Colômbia se constata o inverso.

A maré mudancista na América Latina e a necessidade de conquistar um governo democrático com participação popular influenciaram o surgimento da alternativa política e social da Marcha Patriótica na Colômbia. Dentre seus objetivos, se destacam a democracia e a participação popular em todas as áreas da vida política, social e econômica; os direitos de cidadania como atributos de uma democracia social real; fim das discriminações e paz. A luta pela paz é muito forte na Colômbia. Esse país foi o que mais assassinou sindicalistas na década passada, e ainda hoje existem quase oito mil presos políticos.

A criação da Marcha Patriótica foi consolidada na marcha realizada dia 23 de abril. Esse evento popular inundou as ruas de Bogotá com mais de 80 mil participantes de diversas organizações populares e políticas. O ato foi encerrado na Praça Simon Bolívar. Estiveram presentes 130 delegações internacionais, representando países de todos os continentes.