segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Resolução do PCdoB/CE analisa conjuntura e aponta novos desafios - PCdoB. O Partido do socialismo.

Resolução do PCdoB/CE analisa conjuntura e aponta novos desafios - PCdoB. O Partido do socialismo.
Resolução do Comitê Estadual do PCdoB-CE
 
Consolidar o PCdoB em todas as regiões do Ceará para conquistar novos avanços

As eleições de 2012, em que pese a disputa ter ocorrido nos municípios para a escolha de prefeitos e vereadores, tiveram grande repercussão no plano nacional. Apurado o resultado final pode-se observar uma expressiva vitória das forças democráticas e progressistas, enquanto a oposição, agrupada na aliança PSDB/DEM/PPS, sofreu uma expressiva derrota, apesar de contar com o apoio da chamada “grande imprensa” em sua campanha de ataques ao governo da presidenta Dilma e seus aliados. O PCdoB, em particular, colheu um resultado bastante favorável com o aumento de 37% no número de prefeitos eleitos e superior a 50% em relação aos vereadores. Mesmo não elegendo nenhum prefeito em capital, os comunistas venceram em cidades de grande importância como em Contagem (MG), Jundiaí (SP) e Belford Roxo (RJ), além da quarta vitória seguida em Olinda (PE) e da reeleição do prefeito de Juazeiro (BA). Significativa também a eleição dos vice-prefeitos de São Paulo (SP), Recife (PE) e Rio Branco (AC). A cada eleição o partido acumula forças, incorpora novas experiências em administrações e enfrenta novos desafios.

No Ceará o PCdoB aumentou sua representação em todo o estado. Tendo elegido em 2008 5 prefeitos, este ano elegeu 7; de 4 vice-prefeitos passou para 6 e de 56 vereadores em 34 cidades saltou para 89 eleitos em 56 municípios cearenses. No total os comunistas contribuíram para a eleição de 72 prefeitos cearenses, revelando uma grande expansão da atuação do partido no estado. Em relação a outros partidos considerados de maior porte, o PCdoB superou o número de prefeitos eleitos pelo PR, que elegeu 6, o PP com 5, o PTB com 3 e o DEM com 2. Essa interiorização do PCdoB se deve ao empenho da militância; dos candidatos, eleitos ou não, que ajudaram a divulgar e a construir o partido em suas cidades; dos comitês municipais, responsáveis diretos pelo processo eleitoral nos municípios e do Comitê Estadual na condução do partido em todo o estado.

Em Fortaleza, refletindo as dificuldades de uma campanha sem coligação, com pouco tempo no rádio e na TV, numa disputa contra fortes concorrentes, com espaços e discursos bem definidos, a candidatura de Inácio Arruda e Chico Lopes teve uma votação bem aquém do esperado no 1º turno. No 2º turno o PCdoB decidiu apoiar Roberto Cláudio, do PSB, reposicionando-se numa frente composta por partidos que defendem uma renovação na gestão municipal e dando importante contribuição para a vitória. Uma análise mais detalhada do processo eleitoral em Fortaleza, suas diversas fases e aspectos, assim como desdobramentos, deve ter prosseguimento pelo Comitê Municipal de Fortaleza e pelo Comitê Estadual.

A 20ª Conferência Estadual do PCdoB apontou a ideia de construir um partido forte, com bases sólidas e influentes em todas as frentes de atuação ao longo da década seguinte até 2022, ano do centenário de fundação do partido. A disputa e o resultado eleitoral de 2012 significou um passo importante nesta caminhada de avanços que teve impulso em 2006, com a eleição do senador Inácio Arruda, seguida da eleição de cinco prefeitos em 2008 e de dois deputados federais em 2010.

Encerradas as eleições de 2012 já se iniciam as discussões e articulações com vistas a 2014, quando estarão em disputa os mandatos de deputados estaduais e federais, a renovação de um terço dos mandatos dos senadores, a eleição para governos estaduais e para a Presidência da República. O PCdoB participará intensamente deste processo que deverá assegurar a continuidade e o aprofundamento das mudanças em curso no país, assim como ampliar a presença dos comunistas nos parlamentos e nos executivos. Desde já é fundamental o envolvimento da militância, das direções partidárias em todos os níveis, assim como dos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores neste debate e o compromisso de apoiar as candidaturas do PCdoB.

Para manter este ciclo de crescimento, é fundamental a consolidação e o funcionamento regular dos Comitês Municipais em todo o estado, a partir das maiores cidades, visando estruturar núcleos coletivos de comunistas, com plena compreensão da linha política nacional – acumulação de forças na construção de um Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento, com reformas estruturantes abrindo caminho para uma sociedade socialista – e de sua aplicação prática em cada município nas diversas frentes de atuação. É um processo que exige muita compreensão, dedicação e perseverança do Comitê Estadual e dos principais quadros partidários.

Caberá a cada Comitê Municipal realizar uma avaliação da batalha eleitoral em sua cidade, extraindo lições e planejando imediatamente as tarefas decorrentes do resultado da eleição. Planejar o trabalho, em todas as dimensões, dos prefeitos comunistas, definir o papel e o espaço do PCdoB na administração onde o partido apoiou o prefeito eleito e planejar a atuação dos vereadores. Prefeitos, vice-prefeitos e vereadores comunistas são personalidades políticas importantes e, uma vez bem integrados nos respectivos Comitês Municipais com os dirigentes municipais, darão grande contribuição para o desenvolvimento de seus municípios e para a consolidação da legenda comunista no estado.

O planejamento da ação dos comunistas na frente institucional deve ser feita conjuntamente com o fortalecimento da atuação nas lutas sociais em cima de questões concretas de cada município e de bandeiras políticas nacionais como a democratização da mídia e do poder judiciário, a destinação de 50% dos recursos do pré-sal para a educação e 10% do orçamento da união para o SUS, a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, extinção do fator previdenciário e o avanço nas reformas estruturantes necessárias ao progresso do Brasil. Aumentar a presença dos comunistas nos sindicatos urbanos e rurais, nas entidades estudantis, nas universidades e empresas, no movimento comunitário, estruturar a UJS e a UBM são tarefas dos comunistas em todas as regiões do estado. Os movimentos sociais são fontes permanentes de formação de quadros e um trabalho articulado com a frente institucional possibilitará um grande avanço no trabalho dos comunistas.

Hoje no Brasil desenvolve-se uma intensa luta de ideias entre as forças que querem o desenvolvimento do país e o avanço da democracia e as forças conservadoras que pregam ideias neoliberais, que fracassaram num mundo envolto em profunda crise do capitalismo. Derrotados fragorosamente na última eleição esses segmentos atrasados ganham sobrevida impulsionados pelo complexo midiático e juntos atuam tentando desmoralizar as forças de esquerda, colocando em risco o estado democrático de direito. Cabe aos comunistas apoiados em instrumentos partidários como o Portal Vermelho, a revista Princípios, o jornal A Classe Operária e a Fundação Maurício Grabois, combater essas ideias retrógradas e propagar as ideias de avanço do desenvolvimento e consolidação democrática. O trabalho de formação também deve ser mais impulsionado com a realização de cursos nos diversos níveis e a estruturação da Escola Regional, possibilitando seu funcionamento regular.

Praticando estas ideias e atuando no curso político concreto em cada município, no transcorrer de 2013, com assembleias de base e conferências vibrantes, construiremos o 13º Congresso Nacional do PCdoB, que definirá rumos mais sólidos que permitam acelerar o ritmo de acumulação de forças necessárias para que o partido, mantendo-se militantemente revolucionário, tenha melhores condições para cumprir seu papel histórico de comandar o processo de transformação mais profunda da sociedade brasileira.

Comitê Estadual PCdoB/Ceará
Fortaleza, 2 de dezembro de 2012.