segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Manfredini: O livro resgata mais um capítulo da história do PCdoB - PCdoB. O Partido do socialismo.

Manfredini: O livro resgata mais um capítulo da história do PCdoB - PCdoB. O Partido do socialismo.
Com 100 perfis distribuídos em 260 páginas, resultado de 40 entrevistas presenciais e mais de 60 depoimentos enviados por escrito, somados ao esforço de comprometidos companheiros, será lançada, nesta quinta-feira (29), na Câmara Municipal de São Paulo, após sessão solene em homenagem aos centenários de nascimento de João Amazonas e Mauricio Grabois, a obra Vidas, veredas: paixão, de autoria do comunista e escritor paranaense Luiz Manfredini.

Joanne Mota, da Rádio Vermelho em São Paulo
Durante participação no programa “Destaques” do Vermelho, Manfredini falou sobre a importância da realização desse projeto, que contou com o apoio do Departamento Nacional de Quadros da Secretaria Nacional de Organização do PCdoB e da Fundação Maurício Grabois.

Ouça na Rádio Vermelho:

Luiz Manfredini: Os quadros são a alma do Partido

“Por quase 12 meses – entre julho de 2011 e meados de 2012 – esquadrinhei a memória de muitos dos que, nos últimos 30 anos, lutaram contra a ditadura e pela transformação socialista do Brasil nas fileiras do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)”, destacou o autor.

Segundo Manfredini, o livro se configura numa possibilidade de prospectar a história de figuras importantes para o PCdoB.

“O resgate destes perfis, com certo grau de profundidade, joga um papel importante no resgate de um capítulo da história e coloca para a sociedade, de um modo geral, os caminhos trilhados pelo PCdoB e as circunstâncias em que seus militantes atuaram, especialmente, nas circunstâncias dramáticas da ditadura.”

O autor explica que “uma das singularidades do livro é sua abordagem, pois oferece aos seus leitores uma abordagem das vivências individuais, dos dramas e tragédias de homens e mulheres comuns cuja entrega à luta por liberdade e justiça social as tornou incomuns. Tal abordagem não seria possível senão numa narrativa entre o jornalismo e a literatura”.

Amazonas e Grabois

Durante a entrevista, Manfredini falou sobre a realização das comemorações dos centenários de nascimento de João Amazonas e Maurício Grabois. Ele lembrou que mesmo não figuras abordadas diretamente pela obra, esses companheiros são citados por todos ao longo do livro.


“Eles representam a construção do Partido e do seu pensamento político. Amazonas e Grabois foram figuras essenciais em toda a trajetória do PCdoB, sobretudo em dois momentos: na Conferência da Mantiqueira, em 1943, e na reorganização, em 1962. Desde que ingressaram ao Partido, por volta de 1935, essas duas personalidades tiveram um peso enorme na trajetória do PCdoB.”

Segundo ele, Grabois e Amazonas são personalidades que o Partido, especialmente sua militância, deve se debruçar tanto em seus pensamentos como nas suas histórias de vida. E reafirmou: “não há como falar da história do PCdoB sem falar na trajetória de João Amazonas, Maurício Grabois e Pedro Pomar. Desse modo, todos os que compõem o PCdoB devem se debruçar sobre a história dessas figuras”.