segunda-feira, 25 de março de 2013

Nivaldo: O PCdoB nunca perdeu de vista a luta dos trabalhadores  - PCdoB. O Partido do socialismo.

Nivaldo: O PCdoB nunca perdeu de vista a luta dos trabalhadores  - PCdoB. O Partido do socialismo.


'Estratégia política e plano de ação'. Essas são duas características base para a Secretaria Sindical Nacional do PCdoB, que prepara para 2013 ampla agenda de luta. Para entender como está essa preparação a Rádio Vermelho foi conversar com Nivaldo Santana, secretário Sindical Nacional do PCdoB.

Joanne Mota, da Rádio Vermelho em São Paulo 
Central classista - CTB
O PCdoB nunca perdeu de vista a luta por um projeto nacional de desenvolvimento, indicou Nivaldo Santana.
Nivaldo iniciou a conversa falando da importância estratégica que terá 2013. Segundo ele, este ano é um ano muito importante do ponto de vista o debate, das reflexões e do aumento da organização do Partido entre os trabalhadores. É um ano em que ocorre o 13º Congresso do PCdoB e o 3º Congresso da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), que tem, em sua base, uma presença forte dos comunistas. Estes dois eventos serão centrais para fortalecer a organização dos trabalhadores no seio da luta política.
 

O 4º Encontro Nacional de Secretários Sindicais do PCdoB reuniu 30 lideranças de 12 estados.

Ele rememorou a realização do 4º Encontro Nacional de Secretários Sindicais do PCdoB, que foi realizado no último dia 13 de março e reuniu 16 estados para discutir a atuação do Partido na esfera sindical.

“Nesse encontro, foram discutidos os preparativos do 3º Congresso da CTB, avaliamos a realização da 7ª Marcha das Centrais e dos Movimentos Sociais, além da elaboração das propostas para o 5º Encontro Sindical Nacional do PCdoB, que focará suas discussões na agenda política, na avaliação destes 10 anos de governos populares e progressistas, e sobre a posição dos sindicalistas do PCdoB neste processo”, sinalizou o dirigente.

Década de mudanças
Sobre o processo de mudanças vivenciado desde 2003, Nivaldo Santana, que também é vice-presidente da CTB, salientou que os trabalhadores e trabalhadoras possuem uma compreensão bastante amadurecida e avaliam este período como positivo, porém destacou que o embate político continua focado no avanço destas conquistas. “Avaliamos como bastante positivo. No entanto, as forças políticas e sociais, que apoiam o governo Dilma, bem como sua base aliada, são heterogêneas, e como tal empreendem suas lutas em torno de suas reivindicações”, explicou.

Segundo ele, esse embate faz da dinâmica da luta e acrescenta que, “é natural do capitalismo o conflito entre os interesses dos trabalhadores frente aos interesses dos capitalistas. Por isso, o apoio do PCdoB sempre girou em torno da construção de um projeto nacional de desenvolvimento, que coloque no centro a defesa do trabalhador, com foco no ciclo progressista, mas sem perder de vista sua autonomia no interior da luta”.

91 anos de luta

Nivaldo Santana também falou sobre os 91 anos do PCdoB. Para o comunista essa data é um marco da história política e deve ser comemorada por todos os setores progressistas e democráticas do país.

Ele lembra que “o PCdoB surge no cenário político nacional pra representar e expressar os interesses dos trabalhadores, um movimento que busca defender o socialismo, a democracia e o desenvolvimento com justiça social. Nesses 91 anos, o nosso Partido construiu uma larga folha de serviços prestados ao país, com destaque para a luta dos trabalhadores. De modo que 91 anos do PCdoB é uma acontecimento que precisa ser celebrado por todos aqueles que amam o nosso país e desejam um futuro melhor para todos os brasileiros”, finalizou o dirigente.

Ouça a íntegra do programa Partido Vivo na Rádio Vermelho: