quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Trabalhadores dos Correios continuam greve e se solidarizam com os trabalhadores Gregos

A greve dos Correios no Distrito Federal segue forte e mobilizada. Nesta quinta-feira, 22/09, o SINTECT-DF, liderado por sua Presidenta, Amanda Corcino, diretora de Mulheres da CTB-DF, realizou uma importante assembleia no Ministério das Comunicações em que aprovou a contra proposta feita pelo Comando Nacional de Greve às 35 assembleias dos sindicatos da categoria, em respeito à decisão do Congresso dos Trabalhadores dos Correios.

A contraproposta foi aprovada por unanimidade no Distrito Federal, e se contar com o apoio da maioria das assembleias pelo país será apresentada à ECT, que tenta intimidar os trabalhadores com o corte do ponto dos dias da greve.  Os itens apresentados aos trabalhadores e trabalhadoras são os seguintes:

 

  • Reposição da inflação de 7.16%, calculados pelo IPCA;

  • Reposição das perdas salariais de 24.76%, de 1994 à 2010;

  • Piso salarial de R$ 1.635,00;

  • Aumento linear de R$ 200,00;

  • Vale alimentação/refeição de R$ 28,00;

  • Vale-cesta de R$ 200,00;

  • Vale extra em Dezembro/2011 no valor de R$ 750,00;

  • Portaria para Motociclista e Motorizado no valor de R$ 500,00;

  • Diferencial de Mercado para todos os trabalhadores(as) no valor de R$ 180,00;

  • Auxílio creche para todos os trabalhadores(as), até o sétimo ano de vida de
    seus filhos e, após essa idade, ser transformado em auxílio educação no valor de
    R$ 500,00;

  • AADC para todos os Motoristas;

  • Não contratação de mão de obra terceirizada;

  • Contratação imediata dos concursados.


Em seguida, os trabalhadores se dirigiram até a Câmara dos Deputados em passeata, e aprovaram uma nota de solidariedade aos trabalhadores gregos, no dia em que por todo o mundo a Federação Sindical Mundial organiza atos de apoio ao povo grego, que com a forte presença sindical do PAME, organiza a luta contra o brutal ajuste fiscal imposto, causando imenso retrocesso social e trabalhista para livrar a cara dos banqueiros e da UNião Europeia, os verdadeiros autores da crise. Os trabalhadores dos correios aprovaram a nota de solidariedade por entenderem que na Grécia ou no Brasil, os Trabalhadores não podem pagar o preço da crise dos capitalistas.

Leia a Nota de Solidariedade ao povo grego

Leia a CARTA ABERTA À POPULAÇÃO dos Trabalhadores dos Correios

Paulo Vinícius, com informações do SINTECT, da FENTECT e da CTB-DF.