quinta-feira, 16 de maio de 2013

Em encontro, sindicalistas do PCdoB reafirmam caráter classista  - Portal Vermelho

Em encontro, sindicalistas do PCdoB reafirmam caráter classista - Portal Vermelho

Começou nesta quarta-feira (15), no Rio de Janeiro, o 5º Encontro Sindical Nacional do PCdoB. O evento reúne cerca de 200 comunistas que atuam na frente sindical em mais de 20 estados brasileiros. O encontro objetiva realizar um balanço político e organizativo da atuação dos comunistas sindicalistas em todo o Brasil e apontar perspectivas e tarefas para o crescimento do Partido junto à classe trabalhadora.

Do Rio de Janeiro, Mariana Viel
Durante a abertura do evento, o secretário nacional Sindical do PCdoB, Nivaldo Santana, fez um balanço da conjuntura política brasileira, os impactos da crise do capitalismo e a defesa de um novo projeto nacional de desenvolvimento como caminho para a realização do Programa socialista para o Brasil.

Leia mais:
Movimento sindical deve preservar autonomia, afirmam comunistas

Segundo o dirigente nacional, a crise capitalista no mundo – que atinge com mais intensidade os EUA, o Japão e alguns países da Europa – alcança hoje dimensões planetárias. Ele reforçou o momento histórico de mudança na liderança econômica do mundo, com o deslocamento do centro dinâmico da economia mundial para a Ásia.

Nesse cenário de crise, Nivaldo lembrou que a América Latina tem sido um fator de diferenciação – através do avanço das forças progressistas em diversos países da região, uma maior distribuição de renda e ageração de empregos.

No Brasil, a vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidenta Dilma Rousseff significou uma viragem histórica para os trabalhadores, com a liquidação da política neoliberal. O dirigente nacional ressaltou, no entanto, que ainda há um longo caminho a ser percorrido. Ele citou a precarização do mercado de trabalho, a gigantesca rotatividade e grande oferta de empregos de até dois salários mínimos e o grande índice de trabalhadores na informalidade. “Quem atua na frente sindical deve ter um olhar mais atento. A situação melhorou, mas ainda temos muito chão pela frente”. Para o dirigente, o ambiente mais democrático para o trabalhador, criado a partir da eleição de Lula, é também uma questão essencial.

Ele alertou para a questão econômica do país. “Do ponto de vista mais geral estamos enfrentando um grande gargalo que é o crescimento econômico. Num balanço dos dois primeiros anos do governo Dilma o crescimento está engatinhando”.

Fortalecimento do Partido entre os trabalhadores

O presidente estadual do PCdoB no Rio de Janeiro e membro do Comitê Central, João Batista Lemos, saudou a militância sindicalista presente no 5º Encontro. Para ele, esse é um momento decisivo para o acúmulo e fortalecimento do Partido entre os trabalhadores.

Batista citou a realização do 13º Congresso do Partido, em novembro, e o projeto eleitoral de 2014 como dois fatores decisivos para a militância sindicalista do PCdoB no próximo período. “Queremos aprofundar o processo de mudança iniciado por Lula, com soberania, democracia e direito aos trabalhadores. Para avançar, precisamos mudar a correlação de forças no Congresso”. Ele defendeu uma forte pressão política e social das massas para a efetivação dessas mudanças.

O dirigente estadual defendeu ainda o financiamento público de campanha como um dos fatores essenciais para a vitória de trabalhadores nas eleições. “Fortalecer o protagonismo político da classe trabalhadora é necessário para fortalecer o PCdoB. É necessário ainda fortalecer os trabalhadores na estrutura partidária, na composição da nossa classe na direção do Partido”.

O secretário nacional de Comunicação do PCdoB, José Reinaldo Carvalho, apontou que o atual período é um dos mais perigosos para os povos do mundo. O discurso dúplice do imperialismo estadunidense que fala de paz, respeito, alianças e na prática realiza uma política que viola os interesses dos povos deve ser um dos pontos de atenção dos comunistas brasileiros. “Temos o desafio de colocar nosso país e povo brasileiro no lado correto dessa batalha, como defensores da paz e das conquistas democráticas no mundo. Não somos um Partido para encarar essa situação internacional de maneira olímpica”.

O dirigente ressaltou o crescimento das fileiras partidárias do PCdoB nos últimos anos. “Somos um Partido de luta social, de luta política e de ideologia. Devemos estar atentos para que não venhamos a crescer como um partido qualquer. É preciso qualificar o crescimento para que o nosso Partido não perca o seu caráter de classe”.

O deputado estadual Álvaro Gomes (PCdoB-BA) falou da importância de reforçar o enraizamento do Partido no movimento sindical. Segundo o parlamentar, vivemos momentos de contradição e em determinadas situações é necessário compreender o que está em jogo. “Nem todo movimento é progressista e revolucionário e nem toda greve é avançada. Uma greve que não aumenta o nível de consciência política, não aumenta a organização classista dos trabalhadores e não busca vitórias objetivas, não atende aos objetivos classistas”.

Para o presidente nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Wagner Gomes, o encontro é um momento para a discussão do ponto de vista mais político e dos objetivos centrais do sindicalismo partidário no próximo período. Ele falou do crescimento da CTB no movimento sindical nacional e reforçou o objetivo de alcançar o posto de segunda maior central sindical do país.