terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Defender Dilma: a defesa da democracia, do Brasil e dos direitos do Povo - Paulo Vinícius Silva

En la lucha de clases todas las armas son buenas - versos, noches, poemas.
Paulo Leminski (sic, pq de memória)

Estamos diante do assalto da Direita neoliberal, dos achacadores, dos abutres do capital financeiro e do Partido da Imprensa Golpista ao poder. Tamanha violência, que um tipo como Cunha se esquiva de ser punido, atacando a democracia e a soberania popular, tudo para depor uma Presidenta honesta.

O locaute, o bloqueio e massacre midiático, a cooptação - vide Temer e sua traição - e até a pusilanimidade de setores da esquerda colaboram para um soturno horizonte que só poderá ser detido com ampla união e mobilização popular.

Nessa quadra é que a vacilação e o oportunismo aparecem e confundem gente bem intencionada, mas desapontada pelos erros do nosso projeto, pela fanfarronice da ultra-esquerda quinta-coluna e pela guerra midiática em curso. É preciso paciência e diálogo com todos para deixar claro o que pode advir e para unir o povo em torno da Frente Brasil Popular e da rede em defesa da legalidade lançada pelo Governador comunista maranhense Flávio Dino, Ciro Gomes e Carlos Lupi, presidente do PDT.

Dilma enfrenta toda essa pressão por que? Dilma - mulher corajosa e honesta - encarna nessa hora decisiva da Nação a firme defesa do legado de 13 anos de mudança e o futuro:
1)  Defender Dilma é defender a democracia conquistada e ampliada. A agenda da direita é clara: estuprar a soberania popular (voto), criminalizar a luta do povo (lei "anti-terror" e o que pode virar) e impedir que o povo possa decidir por um presidente(a) que não seja da direita em 2018;
2) Defender Dilma é defender o Pré-Sal e a PETROBRAS. A direita quer voltar ao regime de concessões de FHC, abrir o Pré-Sal aos gringos com perdas para o Brasil, abrir mão de 30% de conteúdo nacional nos equipamentos, excluir as empreiteiras nacionais e quebrá-las e fatiar e vender a PETROBRAS. O que fariam com o Banco do Brasil, com a Caixa, o BNDES e o Banco Central. Isso é destruir as possibilidades de desenvolvimento do Brasil e da América Latina. A direita é pau-mandada dos EUA e está a serviço do imperialismo.
3) Destruir as conquistas e o bem estar da classe trabalhadora. a) "desindexar"
Salário Mínimo, desvinculá-lo dos benefícios sociais; b) rasgar a CLT com a terceirização sem limites e colocar acordos entre patrões e empregados ACIMA da CLT. Ou seja: fim do aumento do salário mínimo acima da inflação, fim da CLT e dos direitos dos trabalhadores(as).
4) Derrotar os avanços em direitos humanos, conferindo a seitas caça-níqueis da teologia da prosperidade a potestade moral para uma agenda de machismo, homofobia, racismo, intolerância religiosa. Dilma é massacrada simbolicamente todos os dias por ser essa mulher admirável e com ela padecem aqueles e aquelas que vivem os horrores da discriminação e da violência covarde e da pobreza, geração após geração.

É essa mulher que nos separa de um retrocesso intolerável. Democratas, Patriotas, Trabalhadores(as), seres humanos, defendamos essa guerreira, defendamos a Presidenta Dilma, porque sobre seus ombros, nessa hora, repousa a defesa da democracia, do Brasil e das conquistas do povo!