terça-feira, 24 de junho de 2014

Convenção do PCdoB-DF decide por reeleger Agnelo e eleger Messias Federal e um(a) Distrital - Portal Vermelho



PCdoB-DF quer reeleger Dilma e Agnelo e voltar ao parlamento - PCdoB. O Partido do socialismo.

Cerca de 400 militantes se envolveram na realização da Convenção do PCdoB do Distrito Federal, cuja plenária final ocorreu na manhã de sábado,( 21), no auditório do Conselho Regional de Arquitetura (Crea), com a presença do governador Agnelo Queiroz (PT), e do dirigente nacional do Partido, Ronald Freitas.



A Convenção ocorreu neste último Sábado (21) e reuniu centenas de militantes do Partido

“Foi um ato político muito bom e animado, em que decidimos nos empenhar pela reeleição de Dilma, presidenta, e Agnelo, governador, e pela eleição de Messias de Souza, deputado federal, e de deputados distritais comunistas”, comemorou o presidente do PCdoB-DF, Augusto Madeira.

"O DF recebe atualmente o maior investimento de sua historia. Cerca de R$ 17 bilhões investidos em infraestrutura, mobilidade urbana e recuperação das políticas públicas”, anunciou o governador Agnelo, que também ressaltou a importância de os comunistas brasilienses ocuparem lugar nos parlamentos nacional e distrital, destacando a atuação de Messias de Souza, na administração de Brasília, e de Olgamir Amância, na secretaria da Mulher do Distrito Federal.

Ronald Freitas, em nome do Comitê Central do PCdoB, destacou avanços obtidos pelo país, nos governos Lula e Dilma, na inclusão social, no desenvolvimento econômico e na reafirmação da soberania nacional. “Muito foi conquistado, mas é preciso avançar mais, num projeto de desenvolvimento nacional”, realçou, defendendo a reeleição de Dilma e Agnelo, e “a necessidade de o Partido ter sua fisionomia própria, com parlamentares comunistas”.

A Convenção aprovou uma moção de desagravo à presidenta Dilma, ofendida por setores da elite brasileira, durante a abertura da Copa do Mundo, em São Paulo, e uma Carta dos Comunistas de Brasília, argumentando que, mesmo com a crise econômica e financeira do capitalismo mundial, o Brasil “cresce, mantém o nível de emprego e distribui renda. Mas queremos mais, queremos uma nova etapa de desenvolvimento, reformas democráticas estruturantes para o país avançar: reforma política, reforma urbana, reforma dos meios de comunicação e reforma tributária”.

Na opinião dos comunistas brasilienses, o Governo Agnelo foi o que “fez mais para melhorar a vida das pessoas do DF. Fez mais creches, escola em tempo integral, erradicou o analfabetismo, fez a maior Unidade de Pronto Atendimento do Brasil, a maior obra de mobilidade urbana do país, fez a Carreta da Mulher e cuidou de Brasília, Patrimônio Cultural da Humanidade e de todos os brasileiros”.

Agora, “é hora de ousadia, de renovar as esperanças e fazer mais e melhor. Queremos mais e melhor saúde, mais e melhor educação, segurança, transporte, empregos, cultura, esporte e lazer. É Agnelo que tem a experiência, seriedade e o apoio político para conduzir este processo”.

Para continuar o rumo das mudanças, “o PCdoB tem que crescer e se fortalecer. Eleger deputados federais e deputados sistritais, ser um partido grande e forte”. Diante disso, o Partido decidiu lançar para deputado federal Messias de Souza e uma nominata para distritais com lideranças populares, sindicais, culturais, da luta dos direitos humanos, da juventude, de mulheres.

Os comunistas propõem que o Programa de Governo do Distrito Federal apoie e incentive que empresas se instalem no DF, principalmente nas cidades com menor índice de desenvolvimento. Apoie o empreendedorismo, racionalize, desburocratize e garanta eficiência na fiscalização, sem restringir indevidamente a atividade econômica. O PCdoB-DF também quer creches e escolas em tempo integral em todas as cidades do Distrito Federal, com gestão democrática, participação de mães, pais e cuidadoras/es nas decisões. Propõe transporte sobre trilhos em todo o Distrito Federal, metrô, trens e veículo leve sobre trilhos.

A partir de sua experiência na administração de Brasília e das reivindicações populares, os comunistas defendem criar, reformar e revitalizar espaços públicos: praças, parques, calçadas, vias, ciclovias, entrequadras e estacionamentos. “A ocupação dos espaços públicos também combate a violência e a criminalidade”, diz o documento. Reivindicam, ainda, realizar pacto pela segurança, integrando governo e sociedade civil para garantir o direito à cidade, à mobilidade e ao uso dos espaços públicos. Investimentos maciços em iluminação pública, em inteligência na prevenção e investigação criminal.

Estando à frente da criação da Secretaria da Mulher, com Olgamir Amancio e, agora, com Valesca Leão, o Partido quer a continuidade do atendimento humanizado e permanente para a saúde integral de todas as mulheres, ampliação do acesso aos serviços de saúde, como a Carreta da Mulher, e informação para as garantias dos direitos sexuais e dos direitos reprodutivos das mulheres.

A Carta também reivindica investimento na saúde preventiva, como as equipes da Saúde da Família e Clínicas da Família, e humanização e melhoria da qualidade do atendimento. Finalizando, o documento aprovado preconiza a valorização do trabalho, criando oportunidades de emprego, acesso à renda e qualificação profissional para mulheres e homens, jovens e idosas/os, pessoas com deficiência, do campo e da cidade, e atenção especial para jovens negras. Valorização das artesãs, dos trabalhadores/as manuais, autônomos/as e dos trabalhadores/as domésticos com políticas públicas para cada segmento. Valorização do servidor/a público, com salário justo e qualificação permanente.

A Comissão Política do PCdoB-DF foi autorizada, pelos convencionais, a estabelecer acordos e coligações com os demais partidos que integram a base do GDF, visando alcançar seus objetivos eleitorais.

Da redação do Vermelho no Distrito Federal