quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Você torce contra o Brasil na Copa? Que bonito, hein?! Paulo Vinícius Silva (Versão final) *

Sou, sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amôÔÔÔR.

Amigos e amigas! Torci pelo Brasil em TODAS as Copas que vi, e até as em que não vivia, nunca tive dúvida. Agora, querem alguns quadrúpedes bicéfalos que eu torça contra a Copa do Mundo no Brasil!? E ainda querem se passar por gente preocupada com o país, com o povo pobre, passar por gente de esquerda? É realmente um posicionamento digno do elogio da  fina flor da CIA, do MOSSAD, do Partido da Imprensa Golpista!

Meu amigo, minha amiga, como diz-se no Ceará, te alui! Abre os olhos, criatura! Quer votar nos tucanos, assume, tira a máscara, pode deixar o amarelo do bico sair por detrás dessa tinta guache avermelhada. Pode tirar a camisa e mostrar a bandeira estadunidense. Sim, porque ainda que não saiba, é um tucano de bico vermelho e roupas íntimas nas cores do imperialismo.

Poucos sinais de falta de agenda, candidato e apoio popular são mais explícitos que essa farsa contra o futebol, o Brasil e os interesses do seu povo, torcer contra o Brasil na Copa do mundo no Brasil e lamentar termos derrotado os EUA - o Obama, fí - com a conquista de ser também a sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

É preciso não conciliar com alguns temas. Perguntemos claramente: você não torce pelo Brasil?! Tudo bem que vai ser derrotado, mas justifique, por favor!

Esporte é direito, economia, desenvolvimento e o futebol é cultura brasileira!

Sou filho de um esportista cearense, Seu Louro. Goleiro, Massagista, Árbitro. Um homem que só fazia o que queria e fazia questão de fazer o certo. Daí nunca ter trabalhado em outra coisa, senão na grande paixão de sua vida, o esporte e em especial o futebol. Não era o amor a um time, era o amor à arte, à profissão, ao esporte. Ele sempre quis estar lá, mudou de atividades dentro do esporte. Nunca se aposentou do futebol. Uma incontornável ponta de tristeza vem ao perceber que o Seu Louro gostaria de ver esse momento do nosso país.

Eu lembro do jeito dele de andar - jeito de jogador -, lembro das roupas, das meias, uniformes, produtos, do grito e da coragem, do jogo limpo - meu pai jamais se vendeu, era incorruptível, meu pai nem devia. Lembro da concentração absoluta quando assistia e da preocupação, e como meu pais explicava todos os fenômenos materiais e espirituais da História humana a partir de casos futebolísticos, históricos, de pessoas do futebol cearense.

E graças ao futebol e à escola de minha mãe, foi que nos sustentaram e criaram tão dignamente meus pais. É a partir dessa vivência que vejo incrédulo alguns argumentos que querem ser politizados porque contrários ao futebol.

Penso nos que trabalham, amam, sofrem, vibram, gritam pelo futebol. E eu me comovo quando imagino a força desse grito imenso dizendo o nome do Brasil, na conquista do hexacampeonato na Arena renovada do Maracanã, penso quando o que isso faria ao povo brasileiro, se somos capazes de a partir disso melhorarmos o nosso país.

Devemos sim, como qualquer Nação, ter orgulho de nosso resultado como civilização, que avança, que melhora a vida das pessoas e amplia o acesso e o acervo de direitos. O Brasil é um país em construção, e tem avançado.

Louro Massagista, meu pai, aficionado, atleta, militante e trabalhador do futebol cearense

O Seu Louro me ensinou o sentido mais profundo do futebol, como vida e sonho de multidões de brasileiros e o espaço de projeção de inúmeras lideranças negras e indígenas como expressões maravilhosas do que é o talento brasileiro. São tantos nomes, mas Pelé, Garrinhcha, tantos poderiam ser citados como expressões magníficas do que é ser brasileiro?

Eu quero é a minha camisa da Seleção.

Apesar da resistência de meus pés-chatos e de meu sedentarismo, escandaliza-me perceber esse jeitinho "blasé" - cara de taboca rachada - daqueles que creem ser de esquerda, ou politizados, ou honestos, ou corretos, por denunciar o esporte, o futebol como coisas desnecessárias, supérfluas, sem sentido. Sinto dolorosamente que não possam perceber o que há de belo e os sonhos e as vidas envolvidas na potência do futebol que é o nosso país. Essa posição é mais um dos sinais de coisa muito estranha por trás dessa antipatia contra o povo brasileiro, contra o Brasil. É coisa de fora, de interesses contrários ao Brasil e a seu povo. Futebol é economia, é trabalho, é indústria, são serviços, ignorá-lo no Brasil é gravíssimo sinal de falta de contato com a realidade.

Afinal, porque tamanho desprezo pelo Brasil e pelo seu povo? Esporte deve ser um direito, em especial para quem não pode pagar as academias, os "personal trainers". O socialismo sempre dinamizou e popularizou o esporte. Como desconhecer o trabalho qualificado por trás do futebol, o trabalho dos operários por trás das colunas, o trabalho dos taxistas, garçons, jornalistas, como desconhecer que num momento como esse, de crise capitalista,em que nosso país se levanta, em que abrirmos caminhos para investir como jamais fizemos em educação; esse momento em que estamos com os índices mais baixos de desemprego da História, em que uma mulher preside o país, em democracia, por que não podemos celebrar a Copa do Mundo no Brasil?

Como não perceber que essa sabotagem contra a Copa aqui visa não apenas a dinamitar a nossa auto estima, aproveitar-se de modo nefasto do calendário eleitoral para prejudicar o país e sua imagem diante do mundo?! O Brasil é o anfitrião! Será que é duro demais perceber que detonar a Copa é agenda da Direita - e de quem quer derrotar o Brasil em solo pátrio?  Por que você não torceu contra as outras Copas, lá fora?! Que papelão!!!

Acabou o tempo de brincar, temos de contribuir com a vitória dos nosso país. E que a Copa seja a maior de todas, e o Brasil receba com carinho quem vem conhecer nossas virtudes universalmente reconhecidas. Povo acolhedor e educado, povo único e mestiço, caldeirão, povo vencedor, uma democracia de muitas dezenas de milhões, uma classe trabalhadora que cresce e uma juventude que deseja ser parte do Desenvolvimento, também no Esporte.

A Economia do Esporte, o impacto dessas atividades acabou servindo como chance de fazer investimentos emergenciais em cidades claramente surpreendidas pela ascensão de uma numerosa e jovem classe trabalhadora a partir da Eleição de Lula em 2002.

A Copa e as Olimpíadas, desse modo, permitem investimentos inadiáveis e ainda pequenos para o necessário. E interessa-nos muitas oras, o crescimento da economia, a ampliação do direito a uma vida digna e investimentos de mais longo prazo. Assim, o problema não são as obras, muito ao contrário, são a solução. A oposição que critica as obras, o desenvolvimento, a distribuição de renda, deseja que o Brasil patine em meio à crise capitalista. Se fosse diferente não se oporiam a investimentos importantes sobre todos os aspectos.

Por que negar os avanços no transporte público, no emprego, no turismo, na renovação de arenas que passaram 40 anos sem investimento, até o ponto de matar torcedores, como na Fonte Nova? Por que não celebrar a expansão dos aeroportos para atender a crescente demanda do transporte aéreo? Por que você não vibra com as centenas de milhares de pais de família que se empregarão agora e depois com os avanços do Esporte no Brasil?

A ultra-direita pinta-se de vermelho e esconde a cara pra confundir!
Queridos(as) será que não dá pra ver que há quem torce pela derrota do Brasil na Copa, na economia, na eleição de 2014? De que lado você joga? Eu não sou um fã tradicional do futebol. Mas sou brasileiro, comunista, e não sou burro. Nessas horas, cumpre resgatar Nelson Rodrigues, aquele reaça - muitas vezes- , aquele revolucionário - muitas mais. Pois bem, Nelson tem um incontornável acerto político. Ele denuncia o COMPLEXO DE VIRA LATAS no brasileiro. E o caracteriza em seu útero: na grã-fina das narinas de cadáver. 

E digo mais: os "honestos" preocupados com o dinheiro que se gasta nos estádios, porque não denunciam a SELIC de 10,5% ao ano? Por que defendem que o melhor contra a corrupção é parar o Brasil? Que eu saiba, o correto é o contrário: faça-se e puna-se quem tiver de ser punido, oras! Parar o Brasil só interessa aos inimigos do país, do desenvolvimento, dos trabalhadores e trabalhadoras e da juventude.  Papo furado: essa "esquerda" que acha que o Brasil não pode ter estádio, rodovias, portos, hidrelétricas, defesa nacional compatível com a atual realidade, satélites, não é esquerda, é a turma do Malan, são os ultraliberais da escola austríaca, são infiltrados com discurso pseudo-esquerda e pseudo-ambientalista e pseudo-ético. Olha a classe mérdia aí querendo encobrir suas podridões com a legitimidade da esquerda. E ainda tem abestado que acredita.

Aposto com quem quiser que o povo trabalhador não admitirá essa imbecilidade, essa traição, essa sabotagem. Multidões, de verde amarelo atropelarão esse crime de lesa pátria, essa burrice rutilante, essa armadilha da direita contra o Brasil e seu povo! Explique-se quem quiser torcer contra o Brasil. Não me interessa, serão derrotados. O Brasil vai ser Hexa. E se há, na História, uma Copa a celebrar, é a Copa do Mundo de 2014, ano indispensável para se defender o Brasil!

PS- Tive de refazê-lo. Havia erro e lacunas.
PV

Leiam também:

Esse Time Chamado Brasil

Silêncio na Vila Olímpica Elzir Cabral